EDUCAÇÃO POSTURAL EM CRIANÇAS EM IDADE ESCOLAR: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA
PDF
HTML

Palavras-chave

postura
serviços de saúde escolar
criança
enfermagem de reabilitação

Categorias

Como Citar

1.
Carvalho AMDS, Pereira CSC, Ribeiro C, Marques G. EDUCAÇÃO POSTURAL EM CRIANÇAS EM IDADE ESCOLAR: REVISÃO INTEGRATIVA DA LITERATURA. Rev Port Enf Reab [Internet]. 15 de Dezembro de 2020 [citado 23 de Junho de 2021];3(2):61-7. Disponível em: http://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/64

Citações

Dimensions

Resumo

Enquadramento: A educação postural é essencial para promover uma postura corporal adequada e prevenir a adoção de posturas incorretas, das quais podem resultar dor e lesões musculosqueléticas (1,2,3,4,5). A implementação de programas a nível escolar tem uma forte influência na saúde e na qualidade de vida das crianças(6,7).

Objetivo: Analisar a evidência existente relativa aos programas de educação postural implementados a nível escolar.

Metodologia: Através da realização de uma revisão integrativa da literatura, utilizou-se a metodologia PEO (participantes, exposição e resultados). A colheita de dados foi realizada em abril de 2020, nas bases de dados CINAHL e PubMed.

Resultados: A análise dos artigos incluídos permitiu identificar que os programas de educação postural apresentam benefícios ao nível do conhecimento, dos parâmetros posturais estáticos e dinâmicos, da redução do peso das mochilas, do nível de dor musculosquelética e do desalinhamento do ombro.

Conclusão: A evidência demonstra que a implementação de programas de educação postural, a nível escolar, tem resultados positivos na promoção da saúde das crianças.

https://doi.org/10.33194/rper.2020.v3.n2.9.5812
PDF
HTML

Referências

Zapater AR, Silveira DM, Vitta A de, Padovani CR, Silva JCP da. Postura sentada: a eficácia de um programa de educação para escolares. Cien Saude Colet. 2004;9(1):191–9.

Santos CIS, Cunha ABN, Braga VP, Saad IAB, Ribeiro M, Conti PBM, et al. Ocorrência de desvios posturais em escolares do ensino público fundamental de Jaguariúna, São Paulo. Rev Paul Pediatr. 2009;27(1):74–80.

Schiaffino AN. Avaliação de desvios posturais em crianças entre 11 e 15 anos do Porto. 2010;2–59.

Rocha BMP da. Contributos para o plano nacional de saúde 2011-2016. Assoc Port dos Enfermeiros Reabil. 2010;1–5.

Costa R, Rafael M, Silva C, Castilho C, Corrêa P, Galvan T, et al. Patologias relacionadas à má postura em ambiente escolar - revisão de literatura. Rev Perspect Ciência e Saúde [Internet]. 2018;3(2):79–89.

Carvalho GS de, Ferreira A, Tracana RB. Prevenção de más posturas corporais em crianças dos 7 aos 12 anos, do litoral e do interior de Portugal. Atas do VIII SIEFLAS (Seminário Int ; Lazer e Saúde) S Luís; Univ Fed do Maranhão (UFMA); Bras DVD (ISBN 978?989?8537?00?3; 978?989?; 8537?01?0). 2013;1–15.

Santos M do CP. Caixa da Prevenção: Comportamento Postural, Dor e Qualidade de Vida em Jovens do 2o Ciclo. Escola Superior deTecnologia da Saúde de Coimbra; 2017.

Milbradt SN, Pranke GI. Aspectos da coluna vertebral relacionados à postura em crianças e adolescentes em idade escolar. Fisioter Bras. 2011;12(2):127.

Santos SG dos. Educação postural mediante um trabalho teórico. Rev Bras Atividade Física Saúde. 1998;3(2):32–42.

Knoplich J. Viva bem com a coluna que você tem: dores nas costas – tratamento e prevenção. 31 ed. São Paulo: Ibrasa; 2005.

Ribeiro AFM, Ribeiro JDO, Tomasini FB, Fulber AS, Munaretto CM, Sousa AH, et al. Postura corporal em escolares: uma revisão da literatura. Ciência em Mov Mov Reabil e Saúde [Internet]. 2017;19(38):17–25.

Candotti CT, Macedo CH, Noll M, Freitas K De. Escola de postura: uma metodologia adaptada aos pubescentes. Rev Mackenzie Educ Física e Esporte. 2010;9(2):91–100.

Matos M, Barreiras C, Festas C. Peso máximo da mochila recomendado para crianças (6-12 anos) em contexto escolar: Protocolo de scoping review. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação. 2019;2:49–52.

Coury HJC. Self-administered preventive programme for sedentary workers: reducing musculoskeletal symptoms or increasing awareness? Appl Ergon. 1998;29(6):415–21.

Santos NB, Sedrez JA, Candotti CTCT, Vieira A, Santos NB Dos, Sedrez JA, et al. Immediate and follow-up effects of a posture education program for elementary school students. Rev Paul Pediatr. 2017;35(2):199–206.

Fernandes CS, Martins T, Rocha NS, Mendes M. “Posture play”: A nursing intervention program for children. Aquichan. 2017;17(2):195–203.

Kasten AP, Rosa BN, Schmit EFD, Noll M, Candotti C. Prevalência de desvios posturais na coluna em escolares: revisão sistemática com metanálise. J Desenvolv Hum. 2017;27(1):99–108.

Brzek A, Plinta R. Exemplification of Movement Patterns and Their Influence on Body Posture in Younger School-Age Children on the Basis of an Authorial Program “I Take Care of My Spine”. Medicine (Baltimore) [Internet]. 2016 Mar;95(9):e2855–e2855.

Dullien S, Grifka J, Jansen P. Cluster-randomized, controlled evaluation of a teacher led multi factorial school based back education program for 10 to 12-year old children. BMC Pediatr [Internet]. 2018;18(1):312.

Vieira Batistão M, Carnaz L, de Fátima Carreira Moreira R, de Oliveira Sato T. Effects of a muscular stretching and strengthening school-based exercise program on posture, trunk mobility, and musculoskeletal pain among elementary schoolchildren - a randomized controlled trial. Fisioter em Mov [Internet]. 2019 Jan;32(1):1–13.

Direção-Geral da Saúde. Programa Nacional de Saúde Escolar. Lisboa; 2015.

Direção Geral da Saúde. Plano de ação para a literacia em saúde Portugal 2019-2021. 2019;6.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2020 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.
137 visualizações

ISSN: 2184-3023      Identificadores:   Crossref logo   Crossref logo      Revisores:    

Indexado em: