Intervenção do enfermeiro de reabilitação no ganho de equilíbrio postural na pessoa após Acidente Vascular Cerebral: Estudo de Caso
PDF

Descritores

Equilíbrio postural
Acidente Vascular Cerebral
Enfermagem de Reabilitação
Exercícios Terapêuticos

Categorias

Como Citar

1.
Rocha IDJ, Bravo MFM, Sousa LMM, Mesquita ACN, Pestana HCFC. Intervenção do enfermeiro de reabilitação no ganho de equilíbrio postural na pessoa após Acidente Vascular Cerebral: Estudo de Caso. Rev Port Enf Reab [Internet]. 27 de Outubro de 2020 [citado 22 de Janeiro de 2022];3(Sup 1):5-17. Disponível em: http://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/91

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: A pessoa com Acidente Vascular Cerebral (AVC) pode apresentar perda do controlo da mobilidade do tronco, o que pode conduzir a um comprometimento no equilíbrio e da postura corporal e consequentemente um défice no desempenho das atividades motoras para a recuperação da marcha e reaquisição da independência funcional.

Objetivo: Identificar os ganhos sensíveis aos cuidados de enfermagem de reabilitação com um programa de atividades e exercícios terapêuticos na recuperação do equilíbrio postural na pessoa com AVC.

Método: Estudo de abordagem qualitativa, tipo estudo de caso. É apresentado o caso de uma pessoa idosa com alteração do equilíbrio, admitida no serviço de neurologia. Os princípios éticos em investigação foram cumpridos.

Resultados: Foram evidenciados ganhos na força muscular, no equilíbrio postural e na funcionalidade após implementação de 10 sessões de exercícios terapêuticos e treino de equilíbrio.

Conclusão: A sistematização dos cuidados de enfermagem de reabilitação revelou-se capaz de melhorar a recuperação do equilíbrio corporal na pessoa com AVC isquémico, maximizando a sua funcionalidade.

https://doi.org/10.33194/rper.2020.v3.s1.1.5755
PDF

REFERÊNCIAS

Direcção Geral da Saúde. Programa Nacional de Saúde para as Doenças Cérebro-Cardiovasculares. Lisboa; 2017.

Instituto Nacional de Estatística. Causas de Morte 2016. INE, IP: Lisboa; 2018.

PORDATA. Óbitos por algumas causas de morte (%). Instituto Nacional de Estatística. 2019, Abril. Consultado em 8 de Maio 2019. Disponível em: https://www.pordata.pt/DB/Portugal/Ambiente+de+Consulta/Tabela.

Ministério da Saúde. Retrato da Saúde 2018. Ministério da Saúde: Lisboa; 2018. Consultado em 8 de Maio 2019. Disponível em: https://www.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2018/04/RETRATODASAUDE2018 compressed.pdf.

Marques-Vieira M, Sousa L, Braga R. Reabilitar a Pessoa com Acidente Vascular Cerebral. Marques-Vieira CM, Sousa, LM. (Eds) Cuidados de Enfermagem de Reabilitação à Pessoa ao Longo da Vida. (1ªed.) Loures: Lusodidacta; 2017: 465-474.

Menoita E, Sousa L, Alvo I, Vieira C. Reabilitar a Pessoa Idosa com AVC: Contributos para um envelhecer resiliente. Loures: Lusociência; 2014.

Louie DR, Lim SB, Eng JJ. The Efficacy of Lower Extremity Mirror Therapy for Improving Balance, Gait, and Motor Function Poststroke: A Systematic Review and Meta-Analysis. J Stroke Cerebrovasc Dis. 2019 Jan 1;28(1):107-20.

Antunes J, Justo F, Justo A, Ramos G, Prudente C. Influência do controle postural e equilíbrio na marcha de pacientes com sequela de acidente vascular cerebral. Rev Fisioter S Fun. Fortaleza, 2016 Jan-Jul; 5(1): 30-41.

Song GB, Heo JY. The effect of modified bridge exercise on balance ability of stroke patients. patient. J Phys Ther Sci. 2015;27(12):3807-10.

Coelho C, Barros H, Sousa L. Reeducação da Função Sensoriomotora. Marques-Vieira CM, Sousa, LM. (Eds) Cuidados de Enfermagem de Reabilitação à Pessoa ao Longo da Vida. (1ªed.) Loures: Lusodidacta; 2017: 227-251.

Fujino Y, Amimoto K, Fukata K, Ishihara S, Makita S, Takahashi H. Does training sitting balance on a platform tilted 10° to the weak side improve trunk control in the acute phase after stroke? A randomized, controlled trial. Top Stroke Rehabil. 2016 Jan 2;23(1):43-9.Doi: 10.1179/1945511915Y.0000000010.

Haruyama K, Kawakami M, Otsuka T. Effect of core stability training on trunk function, standing balance, and mobility in stroke patients: a randomized controlled trial. Neurorehabil Neural Repair. 2017 Mar;31(3):240-9.

Lupo A, Cinnera AM, Pucello A, Coiro P, Personeni S, Iolascon G, Paolucci S. Effects on balance skills and patient compliance of biofeedback training with inertial measurement units and exergaming in subacute stroke: a pilot randomized controlled trial. Funct Neurol. 2018 Jul 1;33(3):131-6.

Diário da República. Regulamento n.º 392/2019. Regulamento das Competências Comuns do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação. Dia?rio da Repu?blica, 2ª se?rie Nº85. 2019, Maio 3: 13565-13568. [acedido a 13 de Maio de 2019]. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/media/ 10778/0474404750.pdf.

Assembleia do Colégio da Especialidade de Enfermagem de Reabilitação. Padrão Documental dos Cuidados de Enfermagem da Especialidade de Enfermagem de Reabilitação. Porto: Ordem dos Enfermeiros; 2015 [acedido a 31 de Janeiro de 2019]. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/colegios/ Documents/2015/MCEER_Assembleia/PadraoDocumental_EER.pdf.

Andrade SR, Ruoff AB, Piccoli T, Schmitt MD, Ferreira A, Xavier AC. O Estudo De Caso Como Método De Pesquisa Em Enfermagem: Uma Revisão Integrativa. Texto Contexto Enferm [Internet], 20172015 [acedido a 13 de Maio de 2019]; 26(4):e5360016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/0104-07072017005360016.

Nunes L. Considerações éticas: a atender nos trabalhos de investigação académica de enfermagem. Setúbal: Departamento de Enfermagem ESS; 2013. [acedido a 30 de Julho 2019]. Disponível em: https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/4547/1/consid%20eticas%20na%20investig%20academica%20em%20enfermagem.pdf.

Mesa do Colégio da Especialidade de Enfermagem de Reabilitação. Instrumentos de recolha de dados para a documentação dos cuidados de enfermagem de reabilitação. Ordem dos Enfermeiros; 2016. [acedido a 30 de Julho 2019]. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/colegios/Documents/2017/InstRecolhaDadosDocumentacaoCuidEnfReabilitacao_Final_2017.pdf.

Apóstolo, JLA, Instrumentos para Avaliação em Geriatria (Geriatric Instruments) Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, 2012, Maio.

Direção-Geral da Saúde. Norma da Direção-Geral de Saúde Nº 054/2011 – Acidente Vascular Cerebral: Prescrição de Medicina Física e Reabilitação. Direção-Geral de Saúde; Lisboa. 2011, Dezembro 27. [acedido a 30 de Julho 2019]. Disponível em: https://www.dgs.pt/directrizes-da-dgs/normas-e-circulares-normativas/norma-n-0542011-de-27122011-jpg.aspx

Meleis, AI. Transition Theory. Middle Range and Situation Specific Theories in Nursing Research and Practice. Springer Publishing Company Inc. New York; 2010. ISBN 978-0-8261-0534-9.

Santos B, Ramos A, Fonseca C. Da formação à prática: Importância das Teorias do Autocuidado no Processo de Enfermagem para a melhoria dos cuidados. Journal of Aging and Inovation. 2017 Abr; 6(1):51-54. ISSN: 2182-6951.

Kim HS, Kollak I. Nursing Theories. Conceptual & Philosophical Foundations. Springer Publishing Company Inc. (2ªed.). New York; 2006. ISBN 0-8261-4005-X.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2020 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Métricas (visualizações)

Carregando Métricas ...

Acessos ao Resumo - 461

eISSN: 2184-3023 | pISSN: 2184-965X         Identificadores:   Crossref logo   Crossref logo      Revisores:    

Indexado em: