CuizGiver: desenvolvimento de um jogo digital para a capacitação do cuidador do lesionado vertebro-medular
PDF

Descritores

Lesão Vertebro-Medular
Cuidador
Necessidades
Jogos experimentais
Enfermagem de Reabilitação

Categorias

Como Citar

1.
Pessoa C, Fernandes CSN da N, Nogueira PC. CuizGiver: desenvolvimento de um jogo digital para a capacitação do cuidador do lesionado vertebro-medular. Rev Port Enf Reab [Internet]. 6 de Julho de 2022 [citado 8 de Dezembro de 2022];5(2). Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/212

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: A lesão vertebro-medular (LVM) traduz-se num evento crítico com alterações significativas para a condição de vida da pessoa, família e cuidador. Este artigo descreve o processo de desenvolvimento de um jogo digital para a capacitação do cuidador do lesionado vertebro-medular, com foco na intervenção do EEER, através de um estudo piloto. Objetiva-se em descrever a usabilidade e aceitação do jogo “CuizGiver” por peritos.

Metodologia: Este processo desenvolve-se em 3 fases. Na primeira, efetuou-se uma revisão integrativa de literatura para identificar as necessidades dos cuidadores. Na segunda fase, foi concebido um jogo para este público-alvo. Em último, foi validado o jogo através de um grupo de peritos.

Resultados: Da primeira fase especificam-se necessidades de conhecimento sobre LVM e problemas de saúde associados (gestão da bexiga neurogénica; prevenção de infeções urinárias; gestão do intestino neurogénico; prevenção de infeções respiratórias; prevenção de úlceras de pressão; atuar perante a disreflexia autonómica e/ ou espasticidade; gerir medicação ou nutrição adequada). Considerando estas necessidades, foi criado um jogo, que posteriormente, foi testado e avaliado por 23 peritos. Atribuíram feedback positivo e relevante no uso profissional para capacitação dos cuidadores, sendo educativo, apelativo e centrado nas suas dúvidas.

Conclusão: As necessidades de preparação e conhecimento são primordiais no processo de intervenção do EEER. A gamificação é uma estratégia significativa e inovadora. Sendo o jogo “CuizGiver” apreciado junto dos peritos, atribuindo feedback positivo e relevante no uso para capacitação dos cuidadores, permitindo identificar as dúvidas destes e, por ser educativo e apelativo. Contudo, é necessária investigação da sua eficácia neste público-alvo.

https://doi.org/10.33194/rper.2022.212
PDF

REFERÊNCIAS

Alizadeh A, Dyck SM, Karimi-Abdolrezaee S. Traumatic Spinal Cord Injury: An Overview of Pathophysiology, Models and Acute Injury Mechanisms. Frontiers in neurology. 2019 Mar 22;10:282. https://doi.org/10.3389/fneur.2019.00282

Campos I, Margalho P, Lains J, Lopes A, Branco C, Faria F, et al. People with Spinal Cord Injury in Portugal. American Journal of Physical Medicine & Rehabilitation. 2017, 2;96:S106–8. https://doi.org/10.1097/PHM.0000000000000616

Phinao G, Thomas D, Mathur R G. Assessing Efficacy of Self-Instructional Module on Rehabilitation After Spinal Cord Injury in Terms of Knowledge and Expressed Practices Among Indian Patients and their Caregivers, IOSR Journal of Nursing and Health Science 2020, 9(4), 24–34. https://doi.org/10.9790/1959-0904112434

Ellenbogen PS., Meade MA., Jackson M N., Barrett K. The impact of spinal cord injury on the employment of family caregivers. Journal of Vocational Rehabilitation, 2006. 25(1), 35–44.

Rodriguez LJ., Rios MP., Costa CL., Hermoso MC., Alonso NP., Agea J. Relatives of people with spinal cord injury: A qualitative study of caregivers’ metamorphosis. Spinal Cord, 2018. 56(6), 548–549. https://doi.org/10.1038/s41393-018-0092-0

Conti A, Garrino L., Montanari P., Dimonte V.. Informal caregivers’ needs on discharge from the spinal cord unit: Analysis of perceptions and lived experiences. Disability and Rehabilitation, 2015. (2), 1–9. https://doi.org/10.3109/09638288.2015.1031287

Jeyathevan G., Cameron JI., Craven BC., Jaglal SB. Identifying required skills to enhance family caregiver competency in caring for individuals with spinal cord injury living in the community. Topics in Spinal Cord Injury Rehabilitation, 2019. 25(4), 290–302. https://doi.org/10.1310/sci2504-290

Baptista G., Oliveira T. Gamification and serious games: A literature meta-analysis and integrative model. Computers in Human Behavior, 2019. 306–315. https://doi.org/10.1016/j.chb.2018.11.030

Sardi L., Idri A., Fernández-Alemán JL. A systematic review of gamification in e-Health. Journal of Biomedical Informatics, 2017. 71, 31–48. https://doi.org/10.1016/j.jbi.2017.05.011

Abraham O., LeMay S., Bittner S., Thakur T., Stafford H., Brown R. Investigating serious games that incorporate medication use for patients: Systematic literature review. JMIR Serious Games, 2020.8(2), 1–9. https://doi.org/10.2196/16096

Fija?ko N, Gosak L., Debeljak N., Skok P., Štiglic G., Cilar L. Gamification in nursing: a literature review. Obzornik Zdravstvene Nege, 2020. 54(2), 133–152.

Sá KC., Martins MG., Costa CA., Barbosa J., Righi R. A Mapping Study on Mobile Games for Patients of Chronic Diseases. Journal of Medical Systems, 2017. 41(138)https://doi.org/10.1007/s10916-017-0781-9

Pessoa C. Recorrer à gamificação para a capacitação do cuidador do Lesionado Vertebro-medular: Contributos para a enfermagem de reabilitação. Tese de mestrado, Escola Superior de Enfermagem do Porto. Repositório Cientifico. http://hdl.handle.net/10400.26/39509

Martins AI., Rosa AF., Queirós A., Silva A., Rocha NP. European Portuguese Validation of the System Usability Scale (SUS). Procedia Computer Science, 2015. 67, 293–300. https://doi.org/10.1016/j.procs.2015.09.273

Bardin L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

D’Aprile G., Ligorio MB., Severino AU.. How Serious Games for Health Enhance Empowerment-Related Patient Education: The Impact of Gender. Technology, Knowledge and Learning, 2019. 24, 325–340. https://doi.org/10.1007/s10758-017-9344-x

Sarker U., Kanuka H., Norris C., Raymond C., Yonge O., Davidson S. Gamification in nursing literature: An integrative review. International Journal of Nursing Education Scholarship, 2021. 18(1), 389–395. https://doi.org/10.1515/ijnes-2020-0081

Blok AC., Valley TS., Abbott P. Gamification for Family Engagement in Lifestyle Interventions: A Systematic Review. Prevention Science, 2021. (0123456789). https://doi.org/10.1007/s11121-021-01214-x

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2021 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    173
   
  PDF   103