Evolução da Funcionalidade em Utentes Seguidos em Contexto Domiciliário por uma Equipa de Cuidados Continuados Integrados
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Enfermagem
Reabilitação
Autocuidado
Serviços de Assistência Domiciliar

Categorias

Como Citar

1.
Oliveira C. Evolução da Funcionalidade em Utentes Seguidos em Contexto Domiciliário por uma Equipa de Cuidados Continuados Integrados. Rev Port Enf Reab [Internet]. 5 de Julho de 2023 [citado 19 de Julho de 2024];6(2):e329. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/329

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: A capacidade funcional, reporta-se à autonomia da pessoa para a realização de tarefas que fazem parte do seu dia-a-dia e lhe asseguram a possibilidade de viver sozinho. A realização deste estudo leva à reflexão sobre a eficácia da prestação de cuidados de enfermagem de reabilitação no sentido da promoção de ganhos em independência funcional do utente em contexto domiciliário.

Objetivos: A investigação teve como objetivo descrever e explicar a existência de associações entre as variáveis: grau de dependência funcional; cuidados de enfermagem de reabilitação prestados e alguns fatores sociodemográficos de modo a compreender de que forma os cuidados prestados pelo enfermeiro de reabilitação contribuem para a diminuição do grau de dependência do utente.

Metodologia: Efetuamos um estudo descritivo, retrospetivo, com a finalidade de avaliar a evolução funcional do utente desde o momento de admissão até à alta na Equipa de Cuidados Continuados Integrados. Utilizamos o Índice de Barthel para monitorização da funcionalidade. Constituímos uma amostra de 63 utentes.

Resultados: Na admissão não existiam utentes independentes ou com dependência ligeira, sendo que a dependência total representava 20,6%, a dependência grave 44,4% e a dependência moderada 34,9%. Após a prestação de cuidados de enfermagem de reabilitação, no momento da alta, o valor de dependentes totais foi de 12,7%, a dependência grave e moderada decresceu para 19,0% cada. Surgiu ainda a dependência ligeira com 15,9% e 33,3% dos utentes já se encontravam independentes.

Conclusão: Existiu uma evolução estatisticamente significativa em todas as atividades de vida diária exceto nas de eliminação, pelo que se concluiu que os cuidados de enfermagem de reabilitação, em contexto domiciliário, se traduziram em ganhos de funcionalidade para os utentes estudados.

https://doi.org/10.33194/rper.2023.329
PDF
PDF (English)

Referências

Vieira C, Sousa L. Cuidados de Enfermagem de Reabilitação à Pessoa ao Longo da Vida Loures: Lusodidacta; 2018.

Enfermeiras CId. Navegador CIPE. [Online]; 2022. Disponível em: https://www.icn.ch/what-we-do/projects/ehealth-icnptm/icnp-browser.

Orem D. Nursing: Concepts of Practice. 6th ed. St Louis USA: Mosby Year Book Inc.; 2001.

Ribeiro T, Romão J. Métodos de Avaliação da Funcionalidade do Idoso e sua Correlação com a CIF. [Online].; 2017.. Disponível em: https://bdm.unb.br/handle/10483/18565.

Pinto M. Consulta de Enfermagem Domiciliária. [Online].; 2016.. Disponível em: https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/21289/1/Marco%20Pinto%20final%20total.pdf.

Carvalhais M, Sousa L. Qualidade dos Cuidados Domicilares em Enfermagem a Idosos Dependentes. Qualidade dos Cuidados Domicilares em Enfermagem a Idosos Dependentes. : p. 160-172.

Rocha B. Gestão em Enfermagem: O papel do Enfermeiro Especialista de Reabilitação; 2011.

Marvanejo D. Funcionalidade dos Utentes Internados no Domicílio em Equipas de Cuidados Continuados Integrados (ECCI): Intervenção do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação; 2017.

Ferreira P. Unidades de Cuidados Continuados - Ganhos com os Cuidados de Enfermeiros de Reabilitação; 2017.

Jesus F. Reabilitação na Pessoa após Fratura da Extremidade Proximal do Fémur; 2017.

Fernandes D. Impacto das Intervenções do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação nos Doentes Internados numa Unidade de Média Duração e Reabilitação - Antes e Após; 2018.

Monteiro FD. Ganhos Funcionais e Outros Dados Casuísticos dos Doentes Internados em 2017 no Serviço de Medicina Física e Reabilitação no Centro Hospitalar e Universitário do Porto; 2017.

Henriques T. Impacto do Internamento na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados (RNCCI) na Melhoria do Nível de Dependência dos Utentes; 2017.

Fonseca M, Gomes J, Santos A. O Papel do Enfermeiro de Reabilitação na Capacitação do Cuidador Informal do Idoso Dependente por AVC no DomicÍlio; 2022.

Rosa M. Resultados Sensíveis às Intervenções de Enfermagem: A Pessoa Idosa em Contextos da RNCCI; 2016.

Petronilho F, Pereira C, Magalhães A, Carvalho D, Oliveira J, Vieira P, et al. Evolução das Pessoas Dependentes no Autocuidado Acompanhadas na Rede Nacional de Cuidados Continuados Integrados. Revista de Enfermagem Referência. 2017; Série IV(14): p. pp. 39-48.

Eletrónico DdR. [Decreto-Lei nº101/2006].; Série I-A de 06-06-2006.. Disponível em: https://www.dre.pt/dre/legislacao-consolidada/decreto-lei/2006-69895072.

Lage I. Envelhecer em Portugal. Psicologia, Saúde e Prestação de Cuidados Lisboa: Climepsi; 2005.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2023 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    575
   
  PDF   721
 
  PDF (English)   65