Intervenção do Enfermeiro de Reabilitação na Pessoa com Negligência Hemiespacial – Estudo de Caso
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Negligência Hemiespacial
Enfermagem de Reabilitação
Acidente Vascular Cerebral

Categorias

Como Citar

1.
Miguel Silva Teixeira F, De Brito Da Silva M, Cristina Nunes De Mesquita A, Pestana HCFCP. Intervenção do Enfermeiro de Reabilitação na Pessoa com Negligência Hemiespacial – Estudo de Caso. Rev Port Enf Reab [Internet]. 5 de Novembro de 2023 [citado 19 de Julho de 2024];6(2):e341. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/341

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: A Negligência Hemiespacial pode ocorrer em 25% das pessoas com Acidente Vascular Cerebral (AVC). O esquecimento do Hemiespaço Afetado compromete a funcionalidade da pessoa. O Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação (EEER) atua na consciencialização do Hemiespaço Afetado. A finalidade deste estudo é compreender os ganhos sensíveis à prática do EEER na consciencialização do Hemiespaço Afetado na pessoa após AVC. Definiu-se os objetivos específicos: identificar os fatores que influenciam a consciencialização do Hemiespaço Afetado; identificar as atividades terapêuticas de Enfermagem de Reabilitação que facilitam a consciencialização do Hemiespaço Afetado da pessoa com Negligência Hemiespacial; identificar o impacto da consciencialização do Hemiespaço Afetado na funcionalidade da pessoa.

Metodologia: Trata-se de um estudo de caso único com abordagem qualitativa, seguindo as guidelines da CAse REport. Implementou-se um programa de estimulação do Hemiespaço Afetado com ênfase na facilitação cruzada, a uma pessoa em internamento de agudos com Negligência Hemiespacial após AVC.

Resultados: A Negligência Hemiespacial passou de severa para moderada (avaliação com Catherine Bergego Scale), favorecendo a consciencialização do Hemiespaço Afetado. A pessoa apresentou evolução positiva de 20 pontos na funcionalidade (avaliação com a Medida de Independência Funcional) e, também, melhoria da força muscular.

Discussão: A intervenção do EEER permite a recuperação da Negligência Hemiespacial através de relação de parceria, atribuição de sentido às transições, implementação de facilitação cruzada e estratégias para manter a atenção e motivação da pessoa.

Conclusão: A consciencialização do Hemiespaço Afetado permitiu melhorar a funcionalidade da pessoa, com ganhos a nível sensitivo e motor.

https://doi.org/10.33194/rper.2023.341
PDF
PDF (English)

Referências

Sociedade Portuguesa do Acidente Vascular Cerebral. Tudo o que precisa de saber sobre Acidente Vascular Cerebral (AVC) - Manual digital para jornalistas. Lisboa: Raiox; 2016.

Bernhardt J, Godecke E, Johnson L, Langhorne P. Early rehabilitation after stroke. Curr Opin Neurol [Internet]. 2017;30(1):48–54. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/29116473/

Vasconcelos L, Caria I, Jesus P, Pinto E. Perfil dos indivíduos com alterações funcionais características de heminegligência após AVC. Rev Pesqui em Fisioter [Internet]. 2017;7(2):244–54. Disponível em: https://www5.bahiana.edu.br/index.php/fisioterapia/article/view/1333

Grilo J. Melhoria da eficácia das intervenções do Enfermeiro Especialista de Enfermagem de Reabilitação na promoção do autocuidado nos doentes com AVC [Internet]. Universidade de Évora; 2018. Disponível em: https://dspace.uevora.pt/rdpc/handle/10174/23268

Kerkhoff G, Rode G, Clarke S. Treating Neurovisual Deficits and Spatial Neglect. In: Clinical Pathways in Stroke Rehabilitation - Evidence-based Clinical Practice Recommendations. Springer; 2021. p. 191–217.

Cid-Guede E, González-González Y, Cuña-Carrera I. Tratamiento fisioterapéutico secundaria a un accidente cerebrovascular. Arch Neurociencias [Internet]. 2018;23(2):42–60. Disponível em: https://www.medigraphic.com/cgi-bin/new/resumen.cgi?IDARTICULO=82108

Vale L, Sobrinho O, Santos J, Junior H, Serra J, Barbosa M, et al. Aspectos anatomo-clínicos da Síndrome da Negligência: Uma revisão de Literatura. Revinter. 2017;10(3):116–33.

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento no392/2019. Regulamento das Competências específicas do enfermeiro especialista em Enfermagem de Reabilitação [Internet]. Portugal: Diário da República, 2a Série; 2019 p. 13565–8.

Hoeman S. Enfermagem de Reabilitação - Prevenção, Intervenção e Resultados Esperados. 4a. Rio de Mouro: Lusodidacta; 2011.

Ordem dos Enfermeiros. Padrão Documental dos Cuidados de Enfermagem da Especialidade de Enfermagem de Reabilitação [Internet]. Porto; 2015.

Li K, Malhotra P. Spatial neglect. Pract Neurol [Internet]. 2015;15(5):1–7. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/26023203/

Klinke M, Hafsteinsdótti T, Jónsdóttir H. Ward-based interventions for patients with hemispatial neglect in stroke rehabilitation: A systematic literature review. Int J Nurs Stud [Internet]. 2015;52(8):1375–403. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/25920700/

Andrade S, Ruoff A, Piccoli T, Schmitt M, Ferreira A, Xavier A. O Estudo de Caso como método de pesquisa em Enfermagem: uma Revisão Integrativa. Texto Context Enferm [Internet]. 2017;26(4):1–12. Disponível em: https://www.scielo.br/j/tce/a/8fLRLYFMZLVwT3BxBHCJRSs/?format=pdf&lang=pt

Riley D, Barber M, Kienle G, Aronson J, Schoen-Angerer T, Tugwell P, et al. CARE guidelines for case reports: explanation and elaboration document. J Clin Epidemiol [Internet]. 2017;89:218–35. Disponível em: https://www.jclinepi.com/action/showPdf?pii=S0895-4356%2817%2930037-9

Ordem dos Enfermeiros. Instrumentos de recolha de dados para a documentação dos cuidados especializados em Enfermagem de Reabilitação. 2016. 1–67 p.

Varanda E, Rodrigues C, Costa A. Avaliação e Estimulação do doente com alterações do estado de Consciência [Internet]. Almada; 2015. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/projectos/Documents/Projetos_Melhoria_Qualidade_Cuidados_Enfermagem/HospitalGarciaOrta_AvaliacaoEstimulacaoDoenteComAlteracoesEstadoConsciencia.pdf

Azouvi P, Olivier S, Montety G, Samuel C, Louis-Dreyfus A, Tesio L. Behavioral Assessment of Unilateral Neglect: Study of the Psychometric Properties of the Catherine Bergego Scale. Arch Phys Med Rehabil [Internet]. 2003;84:51–7. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/12589620/

Maximiano S. Contributo para a Validaçãp da Escala Catherine Bergego em Portugal – Fiabilidade Intra e Inter observador [Internet]. Universidade de Évora; 2022. Disponível em: https://dspace.uevora.pt/rdpc/bitstream/10174/32643/1/Mestrado-Enfermagem_de_Reabilitacao-Sonia_Cristina_Lopes_Maximiano.pdf

Rocha I, Bravo M, Sousa L, Mesquita A, Pestana H. Intervenção do Enfermeiro de Reabilitação no ganho de Equilíbrio Postural na Pessoa após Acidente Vascular Cerebral: Estudo de Caso. Rev Port Enferm Reabil [Internet]. 2020;3(1):5–17. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/91

Riberto M. Orientação Funcional para utilização da MIF [Internet]. Disponível em: https://toneurologiaufpr.files.wordpress.com/2013/03/manual-mif.pdf

Sousa L, Martins M, Novo A. A Enfermagem de Reabilitação no empoderamento e capacitação da pessoa em processos de transição saúde-doença. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação [Internet]. 2020;3(1):64–9. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/132?articlesBySameAuthorPage=1

Santos B, Ramos A, Fonseca C. Da formação à prática: Importância das Teorias do Autocuidado no Processo de Enfermagem para a melhoria dos cuidados. J Aging Innov [Internet]. 2017;6(1):51–4. Disponível em: http://journalofagingandinnovation.org/wp-content/uploads/6-Autocuidado-formação.pdf

Tábuas-pereira M, Freitas S, Beato-coelho J, Ribeiro J, Parra J, Martins C, et al. Aphasia Rapid Test: Estudos de Tradução, Adaptação e Validação para a População Portuguesa. Acta Med Port [Internet]. 2018;31(5):265–71. Disponível em: https://www.actamedicaportuguesa.com/revista/index.php/amp/article/view/9090

Coutinho S. Treino de Atividades de Vida Diária e Ganhos Funcionais nos Doentes com Acidente Vascular Cerebral [Internet]. Instituto Politécnico de Setúbal; 2019. Disponível em: https://repositorio.ipbeja.pt/handle/20.500.12207/5040

Klinke M, Hjaltason H, Tryggvadóttir G, Jónsdóttir H. Hemispatial neglect following right hemisphere stroke: clinical course and sensitivity of diagnostic tasks. Top Stroke Rehabil [Internet]. 2018;25(2):120–30. Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/10749357.2017.1394632?journalCode=ytsr20

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2023 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    435
   
  PDF   397
 
  PDF (English)   29