Lazer: um contributo da Enfermagem de Reabilitação na autonomia da pessoa com DPOC
PDF
HTML

Descritores

Enfermagem de Reabilitação
Atividades de Vida Diárias
Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica
Programa de Reabilitação Respiratória
Lazer

Categorias

Como Citar

1.
Rodrigues MF, Marques G, Couto G, Marques R, Mar MJ, Araújo AI. Lazer: um contributo da Enfermagem de Reabilitação na autonomia da pessoa com DPOC. Rev Port Enf Reab [Internet]. 2 de Dezembro de 2021 [citado 22 de Maio de 2022];4(2):64-71. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/179

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: É amplamente conhecido o impacto das doenças respiratórias na saúde física e mental da pessoa. O Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação sempre foi sensível a esta problemática, sendo foco de intervenção nos seus cuidados a definição de estratégias adaptativas. 

Para a pessoa com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica, o contexto atual da situação pandémica trouxe consequências aos vários níveis entre as quais: redução da atividade física, isolamento social e aumento da ansiedade.

Este contexto veio reforçar a importância de uma reflexão acerca da adoção de estratégias adaptativas que promovam a redução da intolerância à atividade da pessoa com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica na execução das Atividades de Vida Diárias nomeadamente as atividades no domínio do “lazer”.

Este estudo teve como objetivo avaliar o impacto de um Programa de Reabilitação Respiratória na realização das Atividades de Vida Diárias no domínio do “lazer”, medido pela escala London Chest Activity of Daily Living.

Metodologia: Efetuou-se um estudo retrospetivo correlacional, que incluiu utentes com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica admitidos no Programa de Reabilitação Respiratória, sendo os resultados do domínio “Lazer” avaliados, através da escala London Chest Activity of Daily Living, antes e após o Programa de Reabilitação Respiratória. Foram incluídos 46 participantes, (67,39% do género masculino e 32,6% do género feminino). A idade dos participantes situou-se entre os 40 e os 89 anos, para uma média de idade de 63 anos (DP=10,5). A maioria dos participantes possui o 1º ciclo do ensino básico (52,2%).

Resultados: Foram identificadas diferenças estatisticamente significativas (Z=-3,395, p=0,001) no domínio do “lazer” da escala London Chest Activity of Daily Living.

Conclusão: Verificaram-se ganhos clínicos no domínio “lazer” da escala London Chest Activity of Daily Living após a realização do Programa de Reabilitação Respiratória.

https://doi.org/10.33194/rper.2021.179
PDF
HTML

REFERÊNCIAS

Gaspar, L., Martins, P. Reabilitação respiratória em pessoas com bronquiectasias não fibrose quística: qualidade de vida, ansiedade e função respiratória. Rev Port Enf Reab [Internet]. 23 de Junho de 2018 [citado 23 de janeiro de 2021];1(1):38-44. DOI: https://doi.org/10.33194/rper.2018.v1.n1.06.4392

Gaspar, L., Martins, P., & Gomes, F. Efeito da reabilitação respiratória nos sintomas avaliado pelo CAT e a sua relação com a tolerância à atividade. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação. Jun de 2019. DPO: https://doi.org/10.33194/rper.2019.v2.n1.01.4566

Lottermann P, Sousa C, Liz C. Programas de exercício físico para pessoas com DPOC: uma revisão sistemática. Arq. Cienc. Saúde unipar, Umuarama. 2017; vol. 21, n. 1, 65-75.

Gaspar L, Delgado B. Reabilitação respiratória na DPOC: conceitos, componentes, TE in DPOC: abordagem a 360º do hospital para o domicílio. 1ª Ed. Sintra: Lusodidacta Sabooks; 2020. ISBN: 9789895300600.

Farias G, Martins R. Qualidade de vida da pessoa com Doença Pulmonar Obstrutiva crónica. Millenium, 45 (jan/jun). 2013; 195-209. Disponível em: https://revistas.rcaap.pt/millenium/article/view/8102

Montezinho, S. Reabilitação Pulmonar na DPOC (Tese de mestrado). Coimbra: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra; 2014.

Felício A, Mariz M, Morais A. Vivências da pessoa com Doença Pulmonar Obstrutiva Crónica: Enfermagem de Reabilitação, percursos de investigação. Série monográfica Educação e Investigação em Saúde. Unidade de Investigação em Ciências da Enfermagem: Escola Superior de Enfermagem de Coimbra; 2015. ISSN 1647-9440.

Nagamine B, Maciel D. Novos desafios da reabilitação em pacientes DPOC. Research, Society and Development. 2021; vol. 10, n. 4, e10810413901. ISSN 2525-3409 DOI: http://dx.doi.org/10.33448/rsd-v10i4.13901

Global iniciative for chronic obstructive disease Global Iniciative for Chronic Obstructive Lung Disease; 2020.

Weizenmann V, Pozzobon A. Análise de um programa de reabilitação cardiopulmonar em paciente com doença pulmonar obstrutiva crónica-estudo de caso. Revista destaques académicos. 2014; vol.6, n.º3-ccbs/univates.

Rocha S. Impacto de um PRR na qualidade de vida e nas atividades de vida diária de pessoas com doença pulmonar obstrutiva crónica (Tese de mestrado). Porto: Escola Superior de Enfermagem do Porto; 2017.

Ordem dos Enfermeiros. Guia Orientador de Boa Prática-Reabilitação Respiratória. Ordem dos Enfermeiros. 2018; série 1, Número 10. ISBN 978-989-8444-41-7.

Nici L, Donner C, Wouters E, Zuwallack R, Ambrosino N, Bourbeau J. et al. American Thoracic Society/ European respiratory society statement on pulmonar rehabilitation. American jounal of respiratory and critical care medicine. 2006; 173 (12), 1390-1413. DOI: https://doi.org/10.1164/rccm.200508-1211ST

Bott J, Blumenthal S, Buxton M, Ellum S, Falconer C, Garrod R, et al. Guidelines for the physiotherapy management of the adult, medical, spontaneously breathing patient - Joint BTS/ACPRC guideline Thorax. 2009; vol. 64, 1-51. DOI: http://dx.doi.org/10.1136/thx.2008.110726

Spruit MA, Singh SJ, Garvey C, ZuWallack R, Nici L, Rochester C, et al. An oficial American Thoracic Society/ European respiratory society statement: key concepts and advances in pulmonar rehabilitation. American jounal of respiratory and critical care medicine. 2013 Oct; 188(8): 13-64. DOI: https://doi.org/10.1164/rccm.201309-1634ST

Dominic L, Sykes SF, Luke H, Michael G. Impact of COVID-19 on COPD and asthma admissions, and the pandemic from a patient's perspective. Crooks ERJ Open Res 2021; 7: 00822-2020. DOI: https://doi.org/10.1183/23120541.00822-2020

Santos, CD., Santos, AJ., Santos, M., Rodrigues, F., Bárbara, C. Pulmonary rehabilitation adapted index of self-efficacy (PRAISE) validated to Portuguese respiratory patients Pulmonology 2019 Nov - Dec; Vol. 25 (6), 334-339.Journal Article. DOI: https://doi.org/10.1016/j.pulmoe.2019.06.003

Vaes, A., Delbressine, J., Mesquita, R., Goertz, Y., Janssen, D., Nakken, N.,Franssen, F.,Vanfleteren, L.,Wouters, E.,Spruit, M.. Impact of pulmonary rehabilitation on activities of daily living in patients with chronic obstructive pulmonary disease Journal of Applied Physiology (2018) Volume 126, 607-615. DOI: https://doi.org/10.1152/japplphysiol.00790.2018

Global iniciative for chronic obstructive disease Global Strategy for the Diagnosis, Management, and Prevention of Chronic Obstructive Pulmonary Disease; 2021. DOI: https://doi.org/10.1164/rccm.201204-0596PP

Santos, CD., Neves, RC., Ribeiro, RM., Caneiras, C., Rodrigues, F., Spruit, MA., Bárbara, C. Novel Input for Designing Patient-Tailored Pulmonary Rehabilitation: Telemonitoring Physical Activity as a Vital Sign-SMARTREAB Study Journal of clinical medicine [J Clin Med] 2020 Jul 31; Vol. 9 (8). DOI: https://doi.org/10.3390/jcm9082450

Direção-geral da saúde (2019). Circular Informativa nº 014/2019 “Programas de Reabilitação Respiratória nos Cuidados de Saúde Primários

Gonzalez-moro, R., et al. (2009). Impact of COPD severity on physical disability and daily living activities: EDIP-EPOC I and EDIP-EPOC II studies. International Journal Clinical Practice. vol. 63, nº 5, 742-750. DOI: https://doi.org/10.1111/j.1742-1241.2009.02040.x

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2021 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    355
   
  PDF   196
 
  HTML   54