Satisfação profissional: um estudo com enfermeiros especialistas em Enfermagem de Reabilitação
PDF
PDF (English)

Descritores

satisfação no emprego
estudos de validação
enfermagem de reabilitação

Categorias

Como Citar

1.
Marques R, Pimenta R, Nascimento A. Satisfação profissional: um estudo com enfermeiros especialistas em Enfermagem de Reabilitação. Rev Port Enf Reab [Internet]. 23 de Junho de 2018 [citado 7 de Julho de 2022];1(1):55-60. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/7

Citações

Dimensions

Resumo

Este estudo pretendeu analisar a satisfação profissional dos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Reabilitação (EEER) e também averiguar se o exercício de cuidados de especialidade ou o exercício de cuidados gerais influencia a sua satisfação profissional.
A satisfação profissional foi avaliada através da aplicação da “Escala de Avaliação da Satisfação no Trabalho dos Enfermeiros” a 306 profissionais de Enfermagem, especialistas  Enfermagem de Reabilitação. Foi realizado um estudo transversal analítico.
Como instrumentos de análise estatística dos dados, recorreu-se à análise fatorial, ao coeficiente de correlação de Spearman e ao teste paramétrico t-student para amostras independentes. Os resultados mostram que os EEER se encontram ligeiramente insatisfeitos.
Verificamos que os EEER que exercem cuidados gerais apresentam-se mais insatisfeitos do que os que exercem cuidados de especialidade.

https://doi.org/10.33194/rper.2018.v1.n1.08.4384
PDF
PDF (English)

REFERÊNCIAS

Santos MCL, Braga VAB, Fernandes AFC. Nível de Satisfação dos Enfermeiros com o seu Trabalho. Revista enfermagem Universidade do Estado do Rio de Janeiro, 2008;16 (1), 101-105.

Fontes AI. Satisfação profissional dos enfermeiros... Que realidade? Serviço de cuidados intensivos versus serviço de medicina. Tese de Mestrado. Instituto de Ciências Biomédicas de Abel Salazar da Universidade do Porto. Portugal. 2009.

Carvalho MCFCS. Satisfação profissional dos enfermeiros. Tese de Mestrado. Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias – Instituto de Educação. Lisboa. Portugal. 2010.

Ferreira VLA. A satisfação profissional dos enfermeiros em cuidados de saúde primários no distrito de Braga. Tese de Mestrado. Faculdade de Economia da Universidade do Porto. Portugal. 2011.

Menezes MHVF. Novos modelos de gestão hospitalar: Liderança e satisfação profissional em enfermagem. Tese de Mestrado. Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro. Vila Real. Portugal. 2010.

Ferreira MMF. Empenhamento organizacional de profissionais de saúde em hospitais com diferentes modelos de gestão. Tese de

Doutoramento. Universidade do Minho. Braga. Portugal. 2005.

Kinicki A, Kreitner R. Comportamento Organizacional. São Paulo: Mc Graw Hill. 2006.

Cunha MP, Rego A, Cunha RC, Cardoso CC. Manual de Comportamento Organizacional e Gestão. Lisboa: Editora RH, Lda.2007.

Nogueira SG. Qualidade e satisfação em serviços de saúde: uma abordagem da avaliação de desempenho. Tese de Mestrado. Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa. Porto. Portugal. 2008

Frederico M, Loureiro L. EASPE – Uma escala de avaliação da Satisfação Profissional dos Enfermeiros. Referência II. 2009;10, 469.

Marôco J. Análise Estatística – Com o PASW Statistics (ex-SPSS). Pêro Pinheiro: ReportNumber; 2010.

Matos V. Satisfação dos enfermeiros no trabalho: um estudo com enfermeiros generalistas do C.H.E.D.V. E.P.E. Monografia de Licenciatura. Faculdade Ciências da Saúde da Universidade Fernando Pessoa. Porto. Portugal. 2009.

Silva, RMS. Satisfação profissional dos enfermeiros de um Hospital universitário no trabalho noturno. Tese de Mestrado. Universidade Federal de Santa Maria. Rio Grande do Sul. Brasil. 2008.

Simoni, E. M. A organização hospitalar: Um estudo sobre os fatores que influenciam na satisfação das enfermeiras no trabalho. Tese de Mestrado. Universidade Salvador. Salvador. Brasil. 2007.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2018 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    575
   
  PDF   179
 
  PDF (English)   26