Cuidado de Enfermagem de Reabilitação para o Bem-Viver
PDF

Palavras-chave

Enfermagem
Enfermagem em Reabilitação
Cuidado de Enfermagem
Bem-viver

Categorias

Como Citar

1.
PORCELIS VARGAS C, Soraia Dornelles Schoeller, Milena Amorim Zuchetto, Maria Manuela Ferreira Pereira da Silva Martins, Lucas Antunes. Cuidado de Enfermagem de Reabilitação para o Bem-Viver. Rev Port Enf Reab [Internet]. 21 de Maio de 2024 [citado 19 de Julho de 2024];7(1):e343. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/343

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: O modelo biomédico, aos poucos, está sendo substituído pelo modelo social de cuidado em saúde. Esta transformação está pautada na viabilidade que o modelo social proporciona em perceber o indivíduo como um todo integral e individual. O cuidado de enfermagem de reabilitação é capaz de promover este cuidado com vistas ao Bem-Viver, tendo suas ações voltadas para as relações intersubjetivas como promotoras de autonomia, esperança, emancipação, bem como garantindo a dignidade humana. Metodologia: Na perspectiva de refletir sobre o cuidado de enfermagem de reabilitação para o Bem-Viver, este estudo tem seu delineamento metodológico pautado na reflexão teórica. Resultados: Os resultados foram divididos em três tópicos que discutem sobre relações intersubjetivas que culminem no Bem-Viver de todas as partes envolvidas no processo de reabilitação, sendo nomeados: As relações intersubjetivas no Cuidado de Enfermagem de Reabilitação; A construção do Bem-viver nas relações intersubjetivas do cuidado de enfermagem de reabilitação; e, Cuidado de Enfermagem de Reabilitação para o Bem-viver. Conclusão: É necessário discutir sobre as relações intersubjetivas de Axel Honneth e o processo de Esperançar de Ernst Bloch como princípios a autonomia individual, objetivando a emancipação do sujeito e, ambos, a partir do cuidado de enfermagem de reabilitação.

https://doi.org/10.33194/rper.2024.343
PDF

Referências

Schoeller SD, Martins MM, Ribeiro I, Lima DK, Padilha MI, Gomes BP. Breve panorama mundial da enfermagem de reabilitação. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação. 2018 Jun 23;1(1):6-12. Available from: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/11

Ceolin S, González JS, Ruiz MD, Heck RM. Bases teóricas de pensamento crítico na enfermagem ibero-americana: revisão integrativa da literatura. Texto & Contexto-Enfermagem. 2017 Nov 17;26. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-07072017003830016

Ribeiro OM, Martins MM, Tronchin DM, Silva JM, Forte EC. Professional practice models used by nurses in Portuguese hospitals. Revista Brasileira de Enfermagem. 2019;72:24-31. DOI: https://doi.org/10.1590/0034-7167-2017-0670

Wernet M, Mello DF, Ayres JR. Reconhecimento em Axel Honneth: contribuições à pesquisa em saúde. Texto & Contexto-Enfermagem. 2017 Nov 17;26. DOI: https://doi.org/10.1590/0104-070720170000550017

Sampaio CA, Parks CD, Mantovaneli O, Quinlan RJ, Alcântara LC. Bem viver para a próxima geração: entre subjetividade e bem comum a partir da perspectiva da ecossocioeconomia1. Saúde e sociedade. 2017 Jan;26:40-50. DOI: https://doi.org/10.1590/S0104-12902017166634

Backes DS, Zamberlan C, Colomé J, Souza MT, Marchiori MT, Lorenzini Erdmann A, Salazar-Maya AM. Interatividade sistêmica entre os conceitos interdependentes de cuidado de enfermagem. Aquichan. 2016 Jan;16(1):24-31. DOI: https://doi.org/10.5294/aqui.2016.16.1.4

Honneth A. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais (Trad. Luiz Repa). Editora 34, 2003.

Portugal. Regulamento n.º392/2019, de 3 de maio. Diário da República n.º 85 – II Série. Ordem dos Enfermeiros. Lisboa, Portugal. Disponível em: https://diariodarepublica.pt/dr/detalhe/regulamento/392-2019-122216893

Bloch E. O Princípio Esperança. Vol. I, II e III Editora Contraponto, 2006.

Canguilhem G. O normal e o patológico. Rio de Janeiro: Forense Universitária. 2006.

Vargas CP. Modelo teórico de enfermagem de reabilitação. Tese de Doutorado em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2022. Avaliable from: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/242665

Zuchetto MA. Cuidado de enfermagem de reabilitação como processo emancipatório. Dissertação de mestrado em Enfermagem. Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2019. Avaliable from: https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/215072

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2024 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    38
   
  PDF   30