APLICAÇÃO DE UM PROGRAMA DE ESTIMULAÇÃO MULTISSENSORIAL A DOENTES COM ALTERAÇÕES SEVERAS DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA
PDF

Descritores

Enfermagem de Reabilitação
Estado de Consciência
Reabilitação Cognitiva
Programa de Estimulação multissensorial
Alterações severas do estado de consciência

Categorias

Como Citar

1.
Fernandes Rodrigues CA, Guerreiro Varanda EM. APLICAÇÃO DE UM PROGRAMA DE ESTIMULAÇÃO MULTISSENSORIAL A DOENTES COM ALTERAÇÕES SEVERAS DO ESTADO DE CONSCIÊNCIA. Rev Port Enf Reab [Internet]. 6 de Dezembro de 2019 [citado 5 de Dezembro de 2021];2(2):5-11. Disponível em: http://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/110

Citações

Dimensions

Resumo

Implementámos um Programa de Estimulação Multissensorial (PEM) a doentes com alterações severas do estado de consciência, integrado num projeto de melhoria contínua da qualidade dos cuidados de enfermagem: “Avaliação e estimulação do doente com alterações do estado de consciência” (1). Tivemos como objetivo geral promover a melhoria do estado de consciência destes doentes.

Foi aplicado a 22 pessoas com média de idade de 57,95 anos (+17,27), sendo 63,64% homens. A tipologia de doentes foi maioritariamente AVC Hemorrágico (59,09%), seguida de Traumatismo Crânio-Encefálico (31,82%). Escolhemos a Escala de Coma de Glasgow (ECG) e a Rancho los Amigos Levels of Cognitive Functioning Scale (LCSF) para avaliar o doente.

Dos resultados destacamos: mais de metade dos doentes evoluíram no estado de consciência, 63,64% melhoraram o Score na ECG e 54, 55% progrediram no nível LCFS; os que tiveram a família envolvida evoluíram seis vezes mais em média na ECG.

Concluímos que com a aplicação do nosso PEM poderemos contribuir para a melhoria do estado de consciência da maioria destes doentes.

https://doi.org/10.33194/rper.2019.v2.n2.02.4554
PDF

REFERÊNCIAS

Varanda E, Rodrigues CA. Avaliação e estimulação do doente com alterações do estado de consciência: Projeto de melhoria contínua da qualidade dos cuidados de enfermagem. Ordem dos Enfermeiros. 2015. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/projectos/Documents/Projetos_Melhoria_Qualidade_Cuidados_Enfermagem/HospitalGarciaOrta_AvaliacaoEstimulacaoDoenteComAlteracoesEstadoConsciencia.pdf

Demertzi A, Laureys S, Bruno A. Ethics in Disorders of Consciousness. Jl Vincent(ed.), Annual Update in Intensive Care and Emergency Medicine. Springer. 2011.

Laureys S, Owen AM, Schiff N. Brain function in coma, vegetative state, and related disorders. Lancet Neurol. 2004; 3: 537-546. Disponível em: http://www.coma.ulg.ac.be/papers/vs/PVS_MCS_LIS_LancetN04.pdf

Giacino JT, Ashwal S, Childs N, et al. The minimally conscious state: Definition and diagnostic criteria. Neurol. 2002; 58: 349-353. Disponível em: https://pdfs.semanticscholar.org/21d1/d1961a0496ad1edc7ccbd471e93025a15459.pdf

Royal College of Physicians. Prolonged disorders of consciousness. National clinical guidelines. London. RCP Rev. 2018.

Cabral FA, Pompeu SM, Apolinário A, Pompeu JE. Estimulação Multissensorial em pacientes comatosos: uma revisão da literatura. Revista o Mundo da Saúde. São Paulo. 2008; 32 (1): 64-69.

Hoeman S. Enfermagem de Reabilitação: Aplicação e processo. (2ª Edição). Loures: Lusociência. 2000: 635-184.

Taylor J. O dia em que a minha vida mudou. Lisboa: Editorial Presença. 2008.

Monteiro A, Oliveira C, Pereira C, et al. A oculta face do coma: o despertar do desconhecido. Loures: Lusociência. 2013: 31-37.

Varanda E, Rodrigues CA. Reeducação cognitiva em Enfermagem de Reabilitação: Recuperar o Bailado da Mente. In C. Marques-Vieira, L Sousa (Eds). Cuidados de Enfermagem de Reabilitação à pessoa ao Longo da vida. Loures: Lusodidacta. 2017: 219-221.

Hoeman S. Enfermagem de Reabilitação: Prevenção, intervenção e resultados esperados. Loures: Lusociência. 2011: 556

Simões J. A influência da estimulação auditiva na pessoa em coma. Universidade de Aveiro. 2011.

Rancho los Amigos National Rehabilitation Center. Family Guide to The Rancho Levels of Cognitive Functioning. Disponível em: http://file.lacounty.gov/dhs/cms1_218115.pdf.

Pinto V. Coma Provocar a consciência num movimento espiral. Loures: Lusodidacta. 2014.

Sun y, Wang J, Heine L, et al. Personalized objects can optimize the diagnosis of EMCS in the assessment of functional object use in the CRS-R: a double blind, randomized clinical trial. BMC Neurol. Dec;18(1):38. Disponível em: https://doi.org/10.1186/s12883-018-1040-5

Laureys S, Perrin F, Faymonville ME, et al. Cerebral processing in the minimally conscious state. Neurol.2004:63(5): 916-8 https://bmcneurol.biomedcentral.com/articles/10.1186/s12883-018-1040-5

Sharon H, Pasternak Y, Ben S. et al. Emotional processing of personally familiar faces in the vegetative state. Plos One. 2013; 8(9) e74711. Disponivel em:

https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC3783455/

Heine L, Castro M, Martial C, et al. Exploration of functional connectivity during preferred music stimulation in patients with disorders of consciousness. Front Psychol. 2015; 6: 1704. Disponivel em: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4637404/

Doman G, Wilkinson R, Dimancescu MD et al. The effects of intense multi-sensory stimulation on coma arousal and recovery. Neuropsychol Rehabil. 1993; 3:203-12.

Lombardi F, Taricco M, Tanti A, et al. Sensory stimulation for brain injured individuals in coma or vegetative state. Cochrane Database Syst Rev. 2004;(2)

Nolte J. Neurociência. Arizona: Elsevier. 2008: 155.

Freiherr J. Cortical Olfactory Processing. In Buettner A. (Ed). Springer Handbook of Odor. Germany: Spinger. 2017: 764-766.

Caldas AC. A Herança de Franz Joseph Gall. O Cérebro ao serviço do comportamento humano. Lisboa: Mc Graw Hill. 2000: 83.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2019 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.
168 visualizações

eISSN: 2184-3023 | pISSN: 2184-965X         Identificadores:   Crossref logo   Crossref logo      Revisores:    

Indexado em: