INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM REABILITAÇÃO NA MOBILIDADE DA PESSOA IDOSA INSTITUCIONALIZADA – PROGRAMA TEIA
PDF

Descritores

Envelhecimento
Equilíbrio
Incontinência Urinária
Cognição
Enfermagem de Reabilitação

Categorias

Como Citar

1.
Pires R, Martins MM, Gomes B, Monteiro C, Ribeiro O. INTERVENÇÃO DO ENFERMEIRO ESPECIALISTA EM REABILITAÇÃO NA MOBILIDADE DA PESSOA IDOSA INSTITUCIONALIZADA – PROGRAMA TEIA. Rev Port Enf Reab [Internet]. 28 de Junho de 2019 [citado 19 de Setembro de 2021];2(1):90-101. Disponível em: http://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/130

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: O envelhecimento produz alterações fisiológicas, anatómicas, comportamentais, sociais e culturais. Indiscutivelmente, o enfermeiro especialista em reabilitação, assume cada vez mais um papel importante nos cuidados prestados durante o envelhecimento, através da elaboração de planos de cuidados especializados que maximizem a funcionalidade do idoso, capacitando-o para uma maior autonomia e independência no autocuidado, incrementando desta forma a sua qualidade de vida. Nesta perspetiva, apresentamos o programa TEIA que se foca no treino do equilíbrio, da continência urinaria e a cognição em idosos ativos.

Objetivo: Avaliar o impacto do programa de 12 semanas, em idosos ativos institucionalizados, sobre o estado de equilíbrio, cognição, sintomatologia de incontinência urinária e qualidade de vida.

Método: Estudo quasi-experimental, antes-depois, com grupo de controlo. Amostra total de 30 idosos, 16 no grupo de programa e 14 no grupo de controlo. Foram aplicados vários instrumentos de avaliação funcional, na versão portuguesa, nomeadamente: Falls Efficacy Scale Internacional (FES I); Teste de Tinetti; Escala de Equilíbrio de Berg (EEB); Teste Timed Up and Go (TUG); International Consultation on Incontinence Questionnaire - Short Form (ICIQ-SF); Índice de Lawton-Brody; Escala Geriátrica de Depressão de 15 questões (GDS15); Teste de Declínio Cognitivo de 6 itens (6CIT); e Questionário de vida associado à saúde (SF-36).

Resultados: Os idosos do grupo de programa melhoraram no equilíbrio, estático e dinâmico, no medo cair e na execução da marcha (Tinetti, Z=-3,126; p=0,002; EEB, Z=-3,304; p=0,001; FES I, Z=-3,059; p=0,002 e TUG, Z=-3,516; p=0,0001).  Trouxe-lhes benefícios no desempenho da cognição (6CIT, Z=-3,088; p=0,002) e na perceção da qualidade de vida associada à incontinência urinária (ICIQ-SF, Z=-2,680; p=0,007).

Conclusão: A implementação do Programa TEIA traduz-se em ganhos significativos para a saúde dos idosos, melhorando o equilíbrio, a competência dos músculos do assoalho pélvico e no desempenho da cognição potenciado a qualidade de vida dos participantes.

https://doi.org/10.33194/rper.2019.v2.n1.11.4557
PDF

REFERÊNCIAS

. São José J. de, Teixeira A. Envelhecimento ativo: contributo para uma discussão crítica. análise social, Revista do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa. 2014;210. ISSN:0003-2573

Paúl M, Ribeiro O. Manual de envelhecimento ativo. 2nd ed. Lisboa: Lidel; 2018. ISBN:978-989-752-333-5

Instituto Nacional de Estatística. Instituto Nacional de Estatística - Statistics Portugal. [Web page] Lisboa: Instituto Nacional de Estatística, 2017. [Updated 2019; cited 2019 09 Janeiro] Available from: https://ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_bdc_tree&contexto=bd&selTab=tab2.

Eurostat. Estrutura populacional e envelhecimento. Eurostat Statistics Explained. [Web page]: Eurostat; 2018 [Updated 2018; cited 2019 09 Janeiro] Available from: https://ec.europa.eu/eurostat/statistics-explained/index.php?title=Population_structure_and_ageing/pt#A_percentagem_de_idosos_continua_a_aumentar.

Kalsait, A., Lakshmiprabha, R., Iyyar, S. e Mehta, A. Correlation of Cognitive Impairment with funcional Mobility & Risk of Fall in Elderly Individuals. Indian J Physiother Occup Ther. 2017; 11(2): pp7-11.

Schneider, R. e Irigaray, T. O envelhecimento na atualidade: aspetos cronológicos, biológicos, psicológicos e sociais. Campinas. Estud Psicol. 2008; 25(4): pp.585-593.

Sequeira, C. Cuidar de idosos com dependência física e mental. 1ed. Lisboa: Lidel; 2010. ISBN: 978-972-757-717-0.

Saúde, Organização Mundial de. Relatório Mundial de Envelhecimento e Saúde. 1ed. Genebra: World Health Organization; 2015.

Saúde, Direção Geral de. Estratégia Nacional para o Envelhecimento Ativo e Saudável 2017-2025, Proposta do Grupo de trabalho Interministerial (Despacho nº 12427/2016). Lisboa: DGS; 2017.

Firmino, H., Simões, M. e Cerejeira, J. Saúde Mental das Pessoas Mais Velhas. 1ed. Lisboa: Lidel; 2016. ISBN: 978-989-752-147-8.

Jorge, Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo. EVITA?Epidemiologia e Vigilância dos Traumatismos e Acidentes: relatório 2009-2012. 1ed. Lisboa: INSA,IP; 2014. ISBN: 978-989-8794-00-0.

Swift CG, Iliffe S. Assessment and prevention of falls in older people–concise guidance. Clin Med. [Internet]. 2014 Dec 1 [cited 17 June 2019]; 14(6):658-62. Available from: https://www.ncbi.nlm.nih.gov/pmc/articles/PMC4954140/

Gouveia BR, Jardim HG, Martins MM, Gouveia ÉR, de Freitas DL, Maia JA, Rose DJ. An evaluation of a nurse-led rehabilitation programme (the ProBalance Programme) to improve balance and reduce fall risk of community-dwelling older people: A randomised controlled trial. Int J Nurs Stud. 2016 Apr 1;56:1-8..

Barban F, Annicchiarico R, Melideo M, Federici A, Lombardi M, Giuli S, et al. Reducing fall risk with combined motor and cognitive training in elderly fallers. Brain Sci. 2017 Feb 10;7(2):19.

Marques EA, Figueiredo P, Harris TB, Wanderley FA, Carvalho J. Are resistance and aerobic exercise training equally effective at improving knee muscle strength and balance in older women?. Arch Gerontol Geriatr. 2017 Jan 1;68:106-12.

Madill SJ, Pontbriand?Drolet S, Tang A, Dumoulin C. Effects of PFM rehabilitation on PFM function and morphology in older women. Neurourol Urodyn. 2013 Nov;32(8):1086-95..

Abrams P, Andersson KE, Birder L, Brubaker L, Cardozo L, Chapple C, et al. Fourth International Consultation on Incontinence Recommendations of the International Scientific Committee: Evaluation and treatment of urinary incontinence, pelvic organ prolapse, and fecal incontinence. Neurourol Urodyn. 2010 Jan;29(1):213-40.

Kim H, Yoshida H, Suzuki T. The effects of multidimensional exercise on functional decline, urinary incontinence, and fear of falling in community-dwelling elderly women with multiple symptoms of geriatric syndrome: a randomized controlled and 6-month follow-up trial. Arch Gerontol Geriatr. 2011 Jan 1;52(1):99-105.

Shumway-Cook, A. e Woollacott, M. Motor Control Traslating research into clinical pratice. 3 ed. Filadelfia: Lipincot Williams & Wilkins; 2007.

Apóstolo, J., Cardoso, D., Marta, L. e Amaral, T. Efeito da estimulação cognitiva em Idosos. Referência. 2011; III (5):193-201.

Fortin, M. F. Fundamentos e Etapas do Processo de Investigação. 1ed. Loures: Lusodidata; 2009. ISBN: 978-972-8383-10-7.

Orientações sobre Incontinência Urinária [Internet]. Apurologia.pt. 2019 [cited 22 May 2019]. Available from: https://www.apurologia.pt/guidelines/Incont-Urinaria.pdf

Melo CA. Adaptação cultural e validação da escala “Falls Efficacy Scale” de Tinetti. Ifisionline [Internet]. 2011 [cited 22 May 2019]; 1 (3): 33-43..

Petiz E. A atividade física, equilíbrio e quedas um estudo com idosos institucionalizados. Mestrado em Ciência do Desporto, na área de especialização de Atividade Física para a Terceira Idade, pela Faculdade de Ciências do Desporto e de Educação Física -Universidade do Porto (não publicado); 2002.

Santos AP, Ramos NC, Estevão PC, Lopes AM, Pascoalinho J. Instrumentos de medida úteis no contexto da avaliação em fisioterapia. Re (habilitar)[Internet]. 2005 [cited 22 May 2019];(1): 131-156.

Podsiadlo D, Richardson S. The timed “Up & Go”: a test of basic functional mobility for frail elderly persons. J Am Geriatr Soc. 1991 Feb;39(2):142-8.

Sequeira C. Cuidar de idosos dependentes. Coimbra: Quarteto Editora; 2007.

Alves Apóstolo JL, Batista Cardoso DF, Gonçalves Marta LM, de Oliveira Amaral TI. Efeito da estimulação cognitiva em Idosos. Referência. 2011;II(5)..193-201.

Paiva DD, Apóstolo JL. Cognição e Envelhecimento: Estudo de Adaptação Transcultural e Validação do Six Item Cognitive Impairment Test (6-Cit). Escola Superior de Enfermagem de Coimbra, Coimbra. 2013.

Ferreira PL. Criação da versão portuguesa do MOS SF-36. Parte I – Adaptação cultural e linguística. Acta Med Port. 2000 Jan Abr; 13(1-2): 55-66.

Kyrdalen, Ingebjørg L. et al. The Otago Exercise Program Performed as Group Training Versus Home Training in Fall-prone Older People: A Randomized Controlled Trial. Physiother Res Int. 2013; 19(2):108-116.

Apóstolo JL, Cardoso DF, Rosa AI, Paúl C. The effect of cognitive stimulation on nursing home elders: A randomized controlled trial. J Nurs Scholarsh. 2014 May 1;46(3):157-66..

Mulasso A, Roppolo M, Liubicich ME, Settanni M, Rabaglietti E. A multicomponent exercise program for older adults living in residential care facilities: direct and indirect effects on physical functioning. J Aging Phys Act. 2015 Jul;23(3):409-16.

Zelinski EM, Spina LM, Yaffe K, Ruff R, Kennison RF, Mahncke HW, Smith GE. Improvement in memory with plasticity?based adaptive cognitive training: Results of the 3?month follow?up. J Am Geriatr Soc. 2011 Feb;59(2):258-65..

Gawler S, Skelton DA, Dinan-Young S, Masud T, Morris RW, Griffin M, Kendrick D, Iliffe S. Reducing falls among older people in general practice: The ProAct65+ exercise intervention trial. Arch Gerontol Geriatr. 2016 Nov 1;67:46-54.

Possamai Menezes, L., Stamm, B., Tambara Leite, M., Hildebrandt, L. e Kirchner, R. Cair faz parte da vida: Fatores de risco para quedas em idosos. Rev Pesqui Cuid Fundam. 2016; 8(4):5080

Saúde, Direção Geral de. Hipertensão Arterial: definição e classificação. 1ed. Lisboa: DGS; 2013.

Brum, P., Forfaz, C., Tinucci, T. e Negrão, C. Adaptações agudas e crônicas do exercício físico no sistema cardiovascular. Rev Bras Educ Fís Esp. 2004; 18:21-31.

Nelson, M., Rejeski, W., Blair, S., Duncan, P. e Judge, J. Physical Activity and Public Health in Older Adults: Recommendation From the American College of Sports Medicine and the American Heart Association. Circulation. 2007; 116(9):1094-1105.

Rosqvist, E., Aukee, P., Kallinen, M. e Rantanen, T. Feasibility and acceptability of the pelvic floor muscle and bladder training programme. Int J Urol Nurs. 2008; 2(3):113-118.

Pereira, V., Correia, G. e Driusso, P. Individual and group pelvic floor muscle training versus no treatment in female stress urinary incontinence: a randomized controlled pilot study. Eur J Obstet Gynecol Reprod, 2011; 159(2):465-471.

Kapan A, Luger E, Haider S, Titze S, Schindler K, Lackinger C, Dorner TE. Fear of falling reduced by a lay led home-based program in frail community-dwelling older adults: A randomised controlled trial. Arch Gerontol Geriatr. 2017; 68: pp.25-32.

Emilio EJ, Hita-Contreras F, Jiménez-Lara PM, Latorre-Román P, Martínez-Amat A. The association of flexibility, balance, and lumbar strength with balance ability: risk of falls in older adults. J Sports Sci Med. 2014 May;13(2):349-357.

Jahana KO, Diogo MJ. Quedas em idosos: principais causas e conseqüências. Saúde Colet. 2007; 4(17):148-153.

Fhon JR, Fabrício-Wehbe SC, Vendruscolo TR, Stackfleth R, Marques S, Rodrigues RA. Accidental fails in the elderly and their relation with functional capacity. Rev Latino-Am Enferm. 2012; 20(5):1-8.

Yardimci, B., Aran, S., Ozkaya, I., Aksoy, S., Demir, T., Tezcan, G. e Kaptanoglu, A. The role of geriatric assessment tests and anthropometric measurements in identifying the risk of falls in elderly nursing home residents. Saudi Med J. 2016; 37(10):1101-1108.

Guzman AB, Lacampuenga PE, Lagunsad AP. Examining the structural relationship of physical activity, cognition, fear of falling, and mobility limitation of Filipino in nursing homes. Educ Gerontol. 2015; 41(7):527-542.

Riva N, Faccendini S, Lopez ID, Fratelli A, Velardo D, Quattrini A, et al. Balance exercise in patients with chronic sensory ataxic neuropathy: a pilot study. Journal of the Peripheral Nervous System. 2014; 19:145-151.

Berlezi EM, Martins M, Dreher DZ. Programa individualizado de exercícios para incontinência urinária executado no espaço domiciliar. Sci Med. 2013 Oct 1;23(4),232-238.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2019 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.
148 visualizações

eISSN: 2184-3023 | pISSN: 2184-965X         Identificadores:   Crossref logo   Crossref logo      Revisores:    

Indexado em: