[Ahead of Print] A RELEVÂNCIA DA ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO NO SERVIÇO DE URGÊNCIA: FOCUS GROUP
Texto Completo

Descritores

Serviço Hospitalar de Emergência
Enfermagem em Reabilitação
Enfermeiros
Papel do Profissional de Enfermagem

Categorias

Como Citar

1.
Lopez Perez M, Rodrigues T, Dias Botelho M, Santos Silva N, Miguel Delgado B, de Jesus Oliveira I. [Ahead of Print] A RELEVÂNCIA DA ENFERMAGEM DE REABILITAÇÃO NO SERVIÇO DE URGÊNCIA: FOCUS GROUP. Rev Port Enf Reab [Internet]. 14 de Setembro de 2021 [citado 24 de Outubro de 2021];. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/183

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: Os instrumentos reguladores da profissão declaram a necessidade de se incluirem nos serviço de urgência (SU) Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Reabilitação (EEER). Neste contexto procurou-se compreender a relevância do contributo do EEER no contexto atual nos SU.

Metodologia: Estudo qualitativo, exploratório e descritivo, com recurso a focus group como técnica de recolha de dados, numa amostra intencional de oito enfermeiros peritos, quatro deles na área da urgência e quatro EEER.

Resultados: Duas categorias emergem: organização dos cuidados, com maior relevância atribuída às subcategorias equipas e organização dos SU, com um peso 18,0% e 12,8% respetivamente na totalidade do discurso; e prestação dos cuidados, com maior relevância atribuída às subcategorias prevenção de complicações e capacitação da pessoa/cuidador para a alta, com um peso 11,9% e 11,6% respetivamente.

Discussão: Corroborando os achados deste estudo, a evidência salienta a relevância nos domínios da liderança e cuidados interprofissionais, havendo igualmente ganhos percebidos a nível respiratório e motor.

Conclusão: Os participantes identificam ganhos da integração do EEER no SU na organização do serviço e na prestação de cuidados, evidenciando a complementaridade entre competências comuns e específicas, indo assim ao encontro dos referenciais da profissão sobre a necessidade de dotar estes contextos destes profissionais.

https://doi.org/10.33194/rper.2021.183
Texto Completo

REFERÊNCIAS

1. Ordem dos Enfermeiros. Regulamento n.º 392/2019 de 3 de maio de 2019. D R [Internet]. 2019 maio 3 [cited em 2020 jan 23]; II Série(85):13565-8. Available from: https://dre.pt/web/guest/pesquisa/-/search/122216893/details/normal?l=1

2. Dornelles SS, Martins MM, Ribeiro I, Souza Lima DK, Itayra Padilha M, Pereira Gomes B. Breve panorama mundial da enfermagem de reabilitação. Rev Port Enf Reab [Internet]. 2018 jun 23 [cited 18 de janeiro de 2021];1(1):6-12. Available from: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/11

3. Association of Rehabilitation Nurses. Rehabilitation Nurses Play a Variety of Roles. [Internet]. Chicago: Association of Rehabilitation Nurses; s.d. [cited 2020 fev 15]. Available from: https://rehabnurse.org/about/roles-of-the-rehab-nurse

4. Ordem dos Enfermeiros. História da Enfermagem de Reabilitação em Portugal. Revista da Ordem dos Enfermeiros 2003;(9): 12-13.

5. Ordem dos Enfermeiros. Padrões de Qualidade dos Cuidados Especializados em Enfermagem de Reabilitação. [Internet]. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros; 2018 jan [cited 2019 nov 28]. Available from: https://www.ordemenfermeiros.pt/media/8192/ponto-4_regulamento-dos-padr%C3%B5es-qualidade-ceer-1.pdf

6. Direção Geral da Saúde. Direção de Serviços de Planeamento. Rede Hospitalar de Urgência/Emergência. [Internet]. Lisboa: Direção-Geral da Saúde; 2001 nov 14 [cited 2019 dez 19]. Available from: https://www.dgs.pt/planeamento-de-saude/hospitais/redes-referenciacao-hospitalar/rede-de-referenciacao-hospitalar-de-urgenciaemergencia-pdf.aspx

7. Regulamento da Norma para Cálculo de Dotações Seguras dos Cuidados de Enfermagem. Regulamento n.º 743/2019 de 22 de setembro. D R [Internet]. 2019 set 22 [cited 2020 jan 14]; II Série(184):128-55. Available from: https://dre.pt/home/-/dre/124981040/details/maximized

8. Falé, MJ. Na especificidade, a evidência do impacto das intervenções do enfermeiro especialista em enfermagem de reabilitação no doente com patologia respiratória crónica, no serviço de urgência [Internet]. Portalegre: Escola Superior de Saúde de Portalegre; 2016 [cited 5 nov 2020]. 111p. Available from: https://comum.rcaap.pt/bitstream/10400.26/14591/1/ESSTFC591.pdf

9. World Health Organization. Emergency medical teams: minimum technical standards and recommendations for rehabilitation. [Internet]. Geneve: World Health Organization; 2016 [cited 2019 dez 12]. Available from: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/252809/9789241511728-eng.pdf

10. O'Brien BC, Harris IB, Beckman TJ, Reed DA, Cook DA. Standards for reporting qualitative research: a synthesis of recommendations. Acad Med. [Internet]. 2014 set [cited 2020 jan 14];89(9):1245-51. Available from: https://journals.lww.com/academicmedicine/fulltext/2014/09000/Standards_for_Reporting_Qualitative_Research__A.21.aspx

11. Silva, I., Veloso, A., & Keating, J. Focus group: Considerações teóricas e metodológicas. Rev Lusófona de Educ. [Internet]. 2014 [cited 5 nov 2020];26(26):175-190. Available from: https://revistas.ulusofona.pt/index.php/rleducacao/article/view/4703

12. Bardin, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Edições Setenta; 2006.

13. Ordem dos Enfermeiros. Regulamento n.º 140/2019 de 6 de fevereiro de 2019. D R [Internet]. 2019 fev 6 [cited 2020 out 10]; II Série(26):4744-50. Available from: https://www.ordemenfermeiros.pt/media/10778/0474404750.pdf

14. Vaughn S, Mauk KL, Jacelon CS, et al. The Competency Model for Professional Rehabilitation Nursing. Rehabil Nurs. [Internet]. 2015 set 25 [cited 2020 fev 27];41(1):33-44. DOI:10.1002/rnj.225

15. Havrilla E. Rehabilitation Concepts for the Acute Care Nurse. Madridge J Nurs. [Internet]. 2017 set 26 [cited 2020 fev 10]; 2(2): 72-75. DOI: 10.18689/mjn-1000113

16. Sousa JP, Santos M. Symptom Management and Hospital Readmission in Heart Failure Patients: A Qualitative Study From Portugal. Crit Care Nurs Q. [Internet]. 2019 jan/mar [cited 2020 fev 9];42(1):81-88. DOI:10.1097/CNQ.0000000000000241

17. Matifat E, Méquignon M, Cunningham C, Blake C, Fennelly O, Desmeules F. Benefits of Musculoskeletal Physical Therapy in Emergency Departments: A Systematic Review. Phys Ther. [Internet]. 2019 ago 24 [cited 2020 fev 12];99(9):1150-1166. DOI:10.1093/ptj/pzz082

18. Kim HS, Strickland KJ, Mullen KA, Lebec MT. Physical therapy in the emergency department: A new opportunity for collaborative care. Am J Emerg Med. [Internet]. 2018 ago [cited 2020 fev 12];36(8):1492-1496. DOI:10.1016/j.ajem.2018.05.053

19. Barrett R, Terry L. Patients' and healthcare professionals' experiences and perceptions of physiotherapy services in the emergency department: a qualitative systematic review. Int J Emerg Med. [Internet]. 2018 out 11 [cited 2020 fev 12];11(1):42. DOI:10.1186/s12245-018-0201-z

20. Pontius EA, Anderson RS Jr. Physical Therapy, Occupational Therapy, and Speech Language Pathology in the Emergency Department: Specialty Consult Services to Enhance the Care of Older Adults. Emerg Med Clin North Am. [Internet]. 2021 maio [cited 2020 fev 12];39(2):419-427. DOI:10.1016/j.emc.2021.01.005

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2021 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.
100 visualizações

eISSN: 2184-3023 | pISSN: 2184-965X         Identificadores:   Crossref logo   Crossref logo      Revisores:    

Indexado em: