Estrutura da qualidade dos cuidados nas Unidades de Medicina Física e Reabilitação: perceção dos enfermeiros
PDF
PDF (English)

Palavras-chave

Medicina Física e Reabilitação
Cuidados de Enfermagem
Enfermagem em Reabilitação
Qualidade da Assistência à Saúde.

Categorias

Como Citar

1.
Silva Martins AR, Ribeiro OM, Padilha JM, Ferreira Pereira da Silva Martins MM, Martins Vieira MS, Fernandes CS. Estrutura da qualidade dos cuidados nas Unidades de Medicina Física e Reabilitação: perceção dos enfermeiros. Rev Port Enf Reab [Internet]. 26 de Maio de 2023 [citado 24 de Junho de 2024];6(1):e318. Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/318

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: Com o desenvolvimento da sociedade, o conceito de qualidade tornou-se fundamental no âmbito das organizações de saúde. Contudo pouco ainda se sabe sobre o impacto da componente estrutura do modelo de Donabedian na qualidade dos cuidados prestados pelos Enfermeiros Especialistas em Enfermagem de Reabilitação (EEER). O objetivo deste estudo consiste em identificar e analisar os fatores relacionados com a qualidade dos cuidados de enfermagem de reabilitação nas Unidades de Medicina Física e Reabilitação (MFR) à luz do modelo de Donabedian na dimensão estrutura.

Metodologia: Estudo de caso de natureza qualitativa. Utilizamos uma amostra não probabilística de conveniência, sendo todos os participantes, EEER do mesmo serviço. Os dados foram recolhidos através de uma entrevista semiestruturada, constituída por oito perguntas abertas e um conjunto de oito perguntas para a caraterização sociodemográfica e profissional. Na análise dos dados utilizamos as orientações para a análise de conteúdo propostas por Bardin (2009) com recurso ao software Atlas.ti.

Resultados e Discussão: Da análise dos discursos dos 16 participantes, à luz do modelo de Donabedian na área temática Estrutura emergiram as seguintes categorias: gestão de pessoas e liderança no serviço e ambiente físico e condições para funcionamento das práticas de enfermagem. O modelo de Donabedian suportou a discussão em conjugação com outros referenciais. Encontramos discrepâncias nos discursos dos participantes, especificamente em relação às metodologias de trabalho e de distribuição da carga de trabalho relativa aos cuidados de enfermagem de reabilitação. O método de trabalho surge como contributo dificultador para alguns enfermeiros, enquanto, para outros é uma mais-valia para a responsabilização das práticas autónomas desenvolvidas.

Conclusão: Podemos concluir que os enfermeiros identificam fatores facilitadores e dificultadores no âmbito da estrutura do serviço, que interferem com a qualidade dos cuidados.

https://doi.org/10.33194/rper.2023.318
PDF
PDF (English)

Referências

Ward, A. & Gutenbrunner, C. Physical and Rehabilitation Medicine in Europe. J Rehabil Med [Internet]. 2006 [citado 13 de Fevereiro de 2023]. 38: 81-86. DOI: 10.1080/16501970500477777;

Sampaio, F., Pinto, C., Parada, F., Antunes, F., Silva, H., Caldas, J., André, L. & Mirco, T. Rede Nacional de Especialidade Hospitalar e de Referenciação – Medicina Física e de Reabilitação [Internet]. Ministério da Saúde. 2017 [citado 13 de Fevereiro de 2023]. Disponível em: https://www.acss.min-saude.pt/wp-content/uploads/2017/03/RNEHRMedFisicaReab_vf.pdf;

Queiroz, E. & Araújo, T. Trabalho de equipe em reabilitação: um estudo sobre a perceção individual e grupal dos profissionais de saúde. Paidéia [Internet]. 2009; 19 (43): 177-187;

Donabedian, A. An Introduction to Quality Assurance in Health Care. Oxford: University Press. 2003;

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento n.º 392/2019 – Regulamento das Competências Específicas do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação [Internet]. 2019. Diário da República II Série, n.º 85: 13565-68. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/media/11871/1356513568.pdf;

Streubert, H. & Carpenter, D. Investigação qualitativa em Enfermagem – Avançando o Imperativo Humanista. (5ª ed.). Loures: Lusociência. 2013.

Bardin, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70. 2009;

Organização Mundial da Saúde. Orientações da OMS para a cirurgia segura 2009: cirurgia segura salva vidas. Direção-Geral da Saúde. 2010. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/44185/9789241598552_por.pdf;jsessio;

Stonehouse, D. Reflective practice: Ensuring quality care. British Journal of Healthcare Management [Internet]. 2015 [citado 20 de Fevereiro de 2023]. 21(5): 237-241. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/276238398_Reflective_Practice_Ensuring_Quality_Care;

Peixoto, N. & Peixoto T. (2016). Pra?tica reflexiva em estudantes de enfermagem em ensino cli?nico. Revista de Enfermagem Referência [Internet]. 2016 [citado 20 de Fevereiro de 2023]. 4(11): 121-132. Disponível em: http://dx.doi.org/10.12707/RIV16030;

Santos, M. A gestão e a liderança em serviços de enfermagem de reabilitação. In O. Ribeiro, Enfermagem de Reabilitação conceções e práticas. Lidel. 2021. p.19-27;

Padilha, J., Martins, M., Gonçalves, N., Ribeiro, O., Fernandes, C. & Gomes, B.Olhares sobre os processos formativos em enfermagem de reabilitação. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação [Internet]. 2021 [citado 20 de Fevereiro de 2023]. 4(1): 83-89. Disponível em: https://doi.org/10.33194/rper.2021.v4.n1.178;

Pereira, P., Martins, M. & Machado, W. Enfermagem de Reabilitação e a pessoa com deficiência: o caminho para a inclusão social. In O. Ribeiro, Enfermagem de Reabilitação conceções e práticas. Lidel. 2021. p.430-449;

Silva, C., Oliveira, F., Ribeiro M., Prazeres, V. & Ribeiro, O. Novos desafios para velhos problemas: o enfermeiro especialista em enfermagem de Reabilitac?a?o na promoc?a?o da acessibilidade. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação [Internet]. 2019 [citado 2 de Fevereiro de 2023]. 2(2): 20-26. Disponível em: https://doi.org/10.33194/rper.2019.v1.n2.02.4561;

Jesus, E., Roque, S. & Amaral, A. Estudo RN4CAST em Portugal: Ambientes de Prática de Enfermagem. Revista Investigação em Enfermagem [Internet]. 2015 [citado 2 de Fevereiro de 2023]. 26-44. Disponível em: https://repositorio.ucp.pt/bitstream/10400.14/19776/1/2015066.pdf;

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento n.º 743/2019 - Regulamento da Norma para Cálculo de Dotações Seguras dos Cuidados de Enfermagem [Internet]. 2019 [citado 2 de Fevereiro de 2023]. Diário da República, II Série, n.º 184: 128-155. Disponível em: https://dre.pt/dre/detalhe/regulamento/743-2019-124981040;

Freitas, M., Parreira, P. & Neves, T. Dotação Segura em Enfermagem. In Parreira, P., Castilho, A., Martins, M., Santos, M., Rocha, M., Souza, M. - Gestão nas organizações de saúde – Pessoa, formação e desenvolvimento profissional (1ªed.). Portugal: Ordem dos Enfermeiros, Associação de Apoio aos Cuidados de Saúde dos Pequenitos. 2022;

Ferreira, R. & Amendoeira, J. Resultados sensíveis em enfermagem. Ensaio: modelo de avaliação da qualidade dos cuidados. Revista da UIIPS. 2015; 5 (3):396-407;

Martins, M. & Fernandes, H. O Trabalho do Enfermeiro Gestor em Unidades de Saúde. In Parreira, P., Castilho, A., Martins, M., Santos, M., Rocha, M., Souza, M. - Gestão nas organizações de saúde – Pessoa, formação e desenvolvimento profissional (1ªed.). Portugal: Ordem dos Enfermeiros, Associação de Apoio aos Cuidados de Saúde dos Pequenitos. 2022;

Martins, M., Ribeiro, O. & Bastos, A. Formação em Serviço. In Parreira, P., Castilho, A., Martins, M., Santos, M., Rocha, M., Souza, M. - Gestão nas organizações de saúde – Pessoa, formação e desenvolvimento profissional (1ªed.). Portugal: Ordem dos Enfermeiros, Associação de Apoio aos Cuidados de Saúde dos Pequenitos. 2022;

Ventura-Silva, J., Martins, M., Trindade, L., Ribeiro, O. & Cardoso, M. Métodos de trabalho dos enfermeiros em hospitais: scoping review. Journal Health NPEPS [Internet]. 2021; 6(2): 278-295. Disponível em: https://docs.bvsalud.org/biblioref/2021/12/1349325/document-7.pdf;

Parreira, P., Costa, P., Neri, M., Marques, A., Queirós, P. & Oliveira, A. Métodos de trabalho para prestação de cuidados de enfermagem. In Parreira, P., Castilho, A., Martins, M., Santos, M., Rocha, M., Souza, M. - Gestão nas organizações de saúde – Pessoa, formação e desenvolvimento profissional (1ªed.). Portugal: Ordem dos Enfermeiros, Associação de Apoio aos Cuidados de Saúde dos Pequenitos. 2022.

Silva, J., Martins, M., Trindade, L., Ribeiro, O., Ribeiro, M. & Cardoso, M. O processo de trabalho dos enfermeiros especialistas em enfermagem de reabilitação numa ótica marxista. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação [Internet]. 2021; 4(2): 72-80. Disponível em: https://doi.org/10.33194/rper.2021.73;

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento do Perfil de Competências do Enfermeiro de Cuidados Gerais [Internet]. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros. 2012 [cited 2023 Fev 21]. Disponível em: http://www.ordemenfermeiros.pt/publicacoes/Documents/divulgar%20-%20regulamento%20do%20perfil_VF.pdf;

Schoeller, S., Martins, M., Ribeiro, I., Lima, D., Padilha, M. & Gomes, B. Breve panorama mundial da enfermagem de reabilitação. Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação [Internet]. 2018 [citado 21 de Fevereiro de 2023]; 1(1): 6-12. Disponível em: https://doi.org/10.33194/rper.2018.v1.n1.01.4388.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2023 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    429
   
  PDF   423
 
  PDF (English)   71