Trabalho de equipa no cuidado a pessoas idosas: especificidades do especialista em enfermagem de reabilitação
PDF

Palavras-chave

Cuidados de enfermagem.
Enfermagem
Enfermagem em reabilitação
Equipa de enfermagem
Idoso

Como Citar

1.
Duarte Monteiro MC, Martins MM, Dornelles Schoeller S. Trabalho de equipa no cuidado a pessoas idosas: especificidades do especialista em enfermagem de reabilitação. Rev Port Enf Reab [Internet]. 31 de Dezembro de 2022 [citado 29 de Janeiro de 2023];5(2). Disponível em: https://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/241

Citações

Dimensions

Resumo

Introdução: Perante os desafios da sociedade atual cada vez mais envelhecida, o trabalho em equipa entre enfermeiros e enfermeiros especialistas de reabilitação é imprescindível para garantir qualidade na assistência à saúde dos idosos.

Objetivo: Analisar a diferença entre a prática profissional dos enfermeiros de cuidados gerais e dos enfermeiros especialistas de reabilitação, no trabalho de equipa desenvolvido no cuidado a pessoas idosas.

Metodologia: Estudo quantitativo, descritivo-exploratório, comparativo, de corte. Amostra não probabilística, por conveniência, constituída por 192 enfermeiros a exercerem funções com idosos em contexto hospitalar e comunitário, na região norte de Portugal. Utilizado um questionário ad hoc de autopreenchimento, contemplando variáveis: características sociodemográficas, atividades/práticas desenvolvidas pelos enfermeiros na assistência aos idosos e a escala de interdependência de tarefas.

Resultados: Amostra composta por 85,9% enfermeiros e 14,1% enfermeiros especialistas; 76,0% exerce funções em saúde comunitária e 24,0% em hospitais. Existem diferenças entre as informações partilhadas em equipa, valorizando os enfermeiros de reabilitação o pedido de colaboração para continuidade assistencial, as condições sociais e a medicação, enquanto os demais, a alteração da situação de doença. São unânimes as opiniões sobre o contacto direto como estratégia preferencial para a partilha de informações em equipa. Sobre a interdependência de tarefas, a diferença é que os enfermeiros de reabilitação dependem de ajuda e suporte dos colegas, para concretizarem a sua prática profissional.

Conclusão: Há especificidades na ação dos enfermeiros de reabilitação, no cuidado a idosos, sugerindo que sejam líderes no seio das equipas. As lacunas identificadas no trabalho de equipa exigem (re)pensar as práticas.

https://doi.org/10.33194/rper.2022.241
PDF

Referências

Laccort A, Oliveira G. The importance of work team in the context of nursing. UNINGÁ Rev [internet] 2017. [acesso 12 de setembro de 2020]; 29(3):06-10. Disponível em: http://revista.uninga.br/index.php/uningareviews/article/view/1976. ISSN online 2178-2571.

PORDATA (PT). Fundação Francisco Manuel dos Santos. Retrato de Portugal na Europa PORDATA (1ªed.). 2020. Disponível em: https://www.pordata.pt/Retratos/2020/Retrato+de+Portugal+na+Europa-87. ISBN: 978-989-9004-66-5.

Jomaa, C., Dubois, C.-A., Caron, I., & Prud’Homme, A. Staffing, teamwork and scope of practice: Analysis of the association with patient safety in the context of rehabilitation. Journal of Advanced Nursing [internet] 2022. [acesso 5 de julho de 2022];78:2015–2029. Disponível em: https://doi.org/10.1111/jan.15112

World Health Organization (WHO). Global strategy and action plan on ageing and health. Geneva [internet] 2017. Disponível em: https://apps.who.int/iris/bitstream/handle/10665/329960/9789241513500-eng.pdf

Direção-Geral da Saúde (PT). Programa Nacional para a Saúde das Pessoas Idosas. Lisboa. 2006. Disponível em: https://www.dgs.pt/documentos-e-publicacoes/programa-nacional-para-a-saude-das-pessoas-idosas-pdf.aspx

Monteiro MC, Martins MM, Schoeller SD, Antunes L. Elder health care: interdisciplinary health team. Rev baiana enferm [internet] 2021. [acesso 12 de outubro de 2021]; 35:e36702: 1-12. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/36702/24482

Monteiro MC, Martins MM, Schoeller SD. Evaluation of the health level of the elderly: patient care team considerations. Rev brasileira de enferm [internet] 2022. [acesso 12 de janeiro de 2022]; 75(1):e20201277: 1-9. Disponível em: https://www.scielo.br/j/reben/a/bPRt4cdS7rBJfGVTxzvZM9L/abstract/?lang=en

Silveira R, Silva E. O trabalho do/a Assistente Social na Unidade de Terapia Intensiva (UTI): a (in) visibilidade de suas ações x os processos de trabalho em equipe. Texto & Contexto enferm [internet] 2018. [acesso 19 de novembro de 2021]; 17(1): 97-114. Disponível em: https://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/fass/article/view/27325/17155

Peduzzi M, Agreli HLF, Silva JAM da, Souza HS de. Trabalho em equipe: uma revisita ao conceito e a seus desdobramentos no trabalho interprofissional. Trab. Educ. Saúde [internet] 2020. [acesso 10 de janeiro de 2022]; 2020; 18(s1):e0024678: 1-20. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1590/1981-7746-sol00246

Guimarães BEB de, Branco ABA de C. Trabalho em Equipe na Atenção Básica à Saúde: Pesquisa Bibliográfica. Revista Psicologia e Saúde [internet] 2020. [acesso 19 de novembro de 2021]; 12 (1):143-155. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/pdf/rpsaude/v12n1/v12n1a11.pdf. ISSN: 2177-093X.

Peduzzi M, Agreli HLF. Trabalho em equipe e prática colaborativa na Atenção Primária à Saúde. Interface comunicação, saúde e educação [internet] 2018. [acesso 10 de janeiro de 2022]; 22(Supl.2): 1525-34. doi: 10.1590/1807-57622017.0827

Ordem dos Enfermeiros (PT). Regulamento das Competências Específicas do Enfermeiro Especialista em Enfermagem de Reabilitação [internet]. Lisboa: Ordem dos Enfermeiros; 2019 [acesso 28 de junho 2022]. Disponível em: https://dre.pt/application/conteudo/122216893

Siqueira MM, & cols. Medidas de Comportamento Organizacional – Ferramentas de Diagnóstico e de Gestão. São Paulo: Artmed Editora; 2013. ISSN:9788536311210.

Serviço Nacional de Saúde (PT). Relatório Social do Ministério da Saúde e do Serviço Nacional de Saúde. 2018 [internet]. Disponível em: https://www.sns.gov.pt/wp-content/uploads/2019/09/Relat%C3%B3rio-Social-MS_SNS-2018-002.pdf/

Lima RRT, Vilar RLA, Costa TPT, Castro JL, Lima KC. Health education in the context of aging: in focus, the curricular contents. Res Soc Dev. [internet] 2018. [acesso 4 de junho de 2022];7(10):e15710587. doi: https://doi.org/10.17648/rsd-v7i10.587

Kariotis T, Prictor M, Gray K, Chang S. Mind the Gap: Information Sharing Between Health, Mental Health and Social Care Services. Stud Health Technol Inform, Ebook. 266, 101-107. 2019. Digital Health: Changing the Way Healthcare is Conceptualised and Delivered. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/31397309/

Menezes TMO, Oliveira ALB, Santos LB, Freitas RA, Pedreira LC, Veras SMCB. Hospital transition care for the elderly: an integrative review. Rev Bras Enferm. [internet] 2019. [acesso 20 de junho de 2022];72(Suppl 2):294-301. doi: http://dx.doi.org/10.1590/0034-7167-2018-0286

Tia Kostas, Randall Knoebel & Stacie Levine. Medication management in older adults and interprofessional education: A needs assessment. Gerontology & Geriatrics Education. [internet] 2020. [acesso 20 de junho de 2022]; 41(1) 100-108. doi: 10.1080/02701960.2018.1487297

Direção-Geral da Saúde (PT). Estratégia Nacional Para o Envelhecimento Ativo e Saudável 2017-2025. [internet]. Lisboa. 2017. Disponível em: https://www.sns.gov.pt/wpcontent/uploads/2017/07/ENEAS.pdf

Jeffrey I. Butler & Mary T. Fox. Nurses’ Perspectives on Interprofessional Communication in the Prevention of Functional Decline in Hospitalized Older People. Health Communication [internet] 2019. [acesso 4 de junho de 2022]; 34(9): 1053-1059. doi: 10.1080/10410236.2018.1455141

Valentim LV, Luz RA, Santos LSC, Noca CRS. Perception of nursing professionals regarding teamwork. Rev baiana enferm [internet] 2020. [acesso 2 de janeiro de 2022]; 34:e37510:1-8. Disponível em: https://periodicos.ufba.br/index.php/enfermagem/article/view/37510/23066

Puente-Palacios K, Almeida RS, Rezende DV. O impacto da interdependência no trabalho sobre a efetividade de equipes. Organ. Soc [internet] 2011. [acesso 4 de maio de 2021]; 18 (59): 605-623. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1984-92302011000400003

Soko TN, Jere DL, Wilson LL. ‘Healthcare workers’ perceptions on collaborative capacity at a Referral Hospital in Malawi’. Health SA Gesondheid [internet] 2021. [acesso 4 de junho de 2022]; 26(0): a1561. Disponível em: https://doi.org/ 10.4102/hsag.v26i0.1561

Ordem dos Enfermeiros (PT). Regulamento n. º350/2015. Regulamento dos Padrões de Qualidade dos Cuidados Especializados em Enfermagem de Reabilitação [internet]. Diário da República. 2.ª série. p.16655-16660. 2015. Disponível em: https://www.ordemenfermeiros.pt/arquivo/legislacao/Documents/LegislacaoOE/RegulamentoP adQualidadeCuidEspecializEnfReabilitacao_DRJun2015.pdf

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2022 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.

  Acessos ao Resumo    88
   
  PDF   40