ACESSIBILIDADE DOS EDIFÍCIOS DESTINADOS À PRÁTICA DE DESPORTO NAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA - INTERVENÇÃO DOS/AS ENFERMEIROS/AS ESPECIALISTAS EM REABILITAÇÃO
PDF

Descritores

Estruturas de acesso
Exercício
Pessoas com deficiência
Enfermagem em Reabilitação

Categorias

Como Citar

1.
Simões da Silva C, Ferreira Pereira da Silva Martins MM, Silva Pereira RS, Neto Pacheco M, Carvalho AE, Alves Machado WC. ACESSIBILIDADE DOS EDIFÍCIOS DESTINADOS À PRÁTICA DE DESPORTO NAS PESSOAS COM DEFICIÊNCIA - INTERVENÇÃO DOS/AS ENFERMEIROS/AS ESPECIALISTAS EM REABILITAÇÃO. Rev Port Enf Reab [Internet]. 6 de Dezembro de 2019 [citado 24 de Outubro de 2021];2(2):27-32. Disponível em: http://rper.aper.pt/index.php/rper/article/view/125

Citações

Dimensions

Resumo

Enquadramento: O/A enfermeiro/a especialista em enfermagem de reabilitação tem um papel fundamental no envolvimento da pessoa com deficiência em práticas desportivas. O seu papel é intervir em desvios de saúde da pessoa e ainda avaliar as acessibilidades do edificado.

Objetivos: Analisar barreiras arquitetónicas no edificado e analisar as diferenças tendo em conta a tipologia do edifício e a localização dos mesmos.

Metodologia: Paradigma quantitativo de natureza descritiva e transversal. Universo composto por 9 edifícios desportivos públicos dum Município Português. O instrumento de colheita de dados é uma grelha de observação construída a partir da legislação em vigor. O tratamento de dados fez-se com recurso a estatística descritiva simples e qui-quadrado.

Resultados: Existem barreiras arquitetónicas nos edifícios como escadas com degraus e corrimãos inadequados, instalações sanitárias com lavatórios e sanitas sem alturas corretas, entre outras, mas não se verificaram diferenças significativas relativamente às condições de acessibilidade entre edifícios com piscina e com campos nem entre edifícios localizados na cidade ou periferia. 

Conclusão: No município em estudo as pessoas com deficiência têm dificuldades de acesso a locais adequados para a prática de algumas atividades desportivas. As/os enfermeiros/as de reabilitação devem avaliar os recintos relativamente às barreiras arquitetónicas para fazer o devido aconselhamento e sensibilização junto da autarquia, a fim de a tornar mais inclusiva.

https://doi.org/10.33194/rper.2019.v1.n2.02.4568
PDF

REFERÊNCIAS

Antunes N, Marques-Veira C. Enfermagem no desporto.

In C. Marques-Vieira, L Sousa (Eds). Cuidados de Enfermagem de Reabilitação à pessoa ao Longo da vida. Loures: Lusodidacta. 2017:331-41.

Backes DS, Backes MS, Erdmann AL. Promovendo a cidadania por meio do cuidado de enfermagem [Em linha]. vol.62, nº3 (2009), p. 430-434 [Consult. 02-03-2019]. Disponível na internet: ISSN 0034-7167;

Ordem dos Enfermeiros. Regulamento das competências específicas do enfermeiro especialista em enfermagem de reabilitação. Diário da República 2ª Série, n.º 35, 18 de fevereiro de 2011.

Mancussi AC. Enfermagem em reabilitação: ampliando os horizontes, legitimando o saber. Rev Esc Enferm USP [Em linha]. 2006;40(1):128-33. [Consult. 02-03-2019]. Disponível na internet: . ISSN 0080-6234;

Ferrari RF, Rodrigues DM, Baldissera VD, Pelloso SM, Carreira L. Aplicabilidade da teoria de Virginia Henderson para fundamentação na enfermagem: fragilidades e potencialidades. Arq Ciências Saúde UNIPAR [Em linha]. 2014;18(1):51-6. [Consult. 03-03-2019]. Disponível na internet: http://www.revistas.unipar.br/index.php/saude/article/view/5158/2984>;

Moreschi C, de Siqueira DF, Dalcin CB, Grasel JT, Backes DS. Homenagem a Florence Nightingale e compromisso com a sustentabilidade ambiental. Rev Baiana Enferm [Em linha]. 2011;25(2). [Consult. 27-02-2019]. Disponível na internet: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v25i2.5260>;

Matsudo SM, Matsudo VK, Barros Neto TL. Atividade física e envelhecimento: aspectos epidemiológicos. Rev Bras ciênc. Esporte [Em linha]. 2001;7(1):2-13. [Consult. 03-03-2019]. Disponível na internet: http://dx.doi.org/10.1590/S1517-86922001000100002> ISSN 1517-8692;

Federação Portuguesa de Desporto para Pessoas com Deficiência. Programa Nacional de Formação de Treinadores: o desporto para pessoas com deficiência. 2016.

Rovira-beleta E, Folch, A. Descripción de La Guía. Guía de la Barcelona acessible. [em linha] 2007. [Consult. 20-09-2018] Disponível na internet: http://www.vienaeditorial.com/barcelonaaccesible/index.htm.>

Fortin MF - Fundamentos e etapas do processo de investigação. Loures: Lusodidacta, 2009;

Polit DF, Hungler BP. Fundamentos de pesquisa em enfermagem: Métodos, avaliação e utilização. 5ªed. São Paulo: Artmed editora s.a., 2001. ISBN 0-7817-2557-7;

Decreto-Lei nº 163/2006. D.R. I Série. Nº 152 (08-08-2006). p. 5670-5689;

Gouveia PH. Habitação: largura de escadas interiores. [em linha] 2007. [Consult. 13-03-2019] Disponível na internet: http://acessibilidade-portugal.blogspot.com/2007/05/habitao-largura-de-escadas-interiores.html>

de França IS, Pagliuca LM, Baptista RS, de França EG, Coura AS, de Souza JA. Violência simbólica no acesso das pessoas com deficiência às unidades básicas de saúde. Rev Bras Enferm[Em linha]. 2010;63(6):964-70. [Consult. 13-03-2019] Disponível na internet: <http://www.redalyc.org/articulo.oa?id=267019463015>; ISSN 0034-7167;

Gallo EC, Orso KD, Fiório FB. Análise da acessibilidade das pessoas com deficiência física nas escolas de Chapecó-SC e o papel do fisioterapeuta no ambiente escolar. Mundo Saúde SP [Em linha]. 2011;35:201-7 [Consult. 13-03-2019] Disponível na internet:< http://www.saocamilo-sp.br/pdf/mundo_saude/84/201-207.pdf>;

Silva JV, Silva DS, Sampaio TM. Parques esportivos como espaço ou lugar de inclusão ou exclusão de pessoas com deficiência física e visual. Licere [Em linha]. 2018;21(1):108-34. [Consult. 19-05-2019] Disponível na Internet: <https://periodicos.ufmg.br/index.php/licere/article/view/1788>;

Viegas IV. A acessibilidade aos espaços desportivos: estudo sobre as características e critérios de acessibilidade das instalações desportivas do concelho de Oeiras relativas à sua capacidade de adaptação às necessidades das populações com deficiência ou mobilidade reduzida. (Tese de Mestrado). Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa, Lisboa, Portugal, 2017;

Decreto-Lei nº38/2004. D.R. I Série A. Nº194 (18-08-2004). p.5232-5236

DECO PROTESTE. Direitos do espetador: vá à bola sem stresses. [em linha] 2018. [Consult. 13-03-2019] Disponível na internet: <https://www.deco.proteste.pt/familia-consumo/ferias-lazer/dicas/direitos-do-espetador-va-a-bola-sem-stresses>.

Creative Commons License

Este trabalho encontra-se publicado com a Licença Internacional Creative Commons Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0.

Direitos de Autor (c) 2019 Revista Portuguesa de Enfermagem de Reabilitação

Downloads

Não há dados estatísticos.
63 visualizações

eISSN: 2184-3023 | pISSN: 2184-965X         Identificadores:   Crossref logo   Crossref logo      Revisores:    

Indexado em: